Exposição faz analogia entre o corpo humano e as catedrais

Mostra da artista Paula Gabbai será aberta no dia 19 de fevereiro no Instituto de Ciências Biomédicas da USP

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=224306
  • 167
  •  
  •  
  •  
  •  

.No dia 19 de fevereiro, terça-feira, às 9 horas, o Museu de Anatomia Humana (MAH) do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP inaugura a mostra Canteiros e Matrizes (Uma Catedral Interior), da artista plástica Paula Gabbai. A exposição tem por objetivo aproximar a arte das ciências, principalmente aquelas relacionadas à arquitetura e à biologia, e representa a interação entre essas áreas do conhecimento, além de oferecer ao visitante um ponto de vista diferente e poético sobre a anatomia.

Serão expostos desenhos, gravuras, esculturas e fotografias que remetem às estruturas anatômicas do corpo humano. A artista é doutora em Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. A mesma exposição esteve em cartaz em 2018 no Espaço das Artes, na Cidade Universitária, em São Paulo, no momento em que ela defendia sua tese. “O que mudou do ano passado para este momento foi o espaço do ICB, que dá margem para que os visitantes possam interpretar as obras de outras maneiras, estabelecendo relações com o acervo do museu, por exemplo, e tracem esse paralelo entre as artes plásticas e as ciências naturais”, conta a artista.

O início de sua produção se deu pela gravura. Interessada pelas imagens formadas por essa técnica, Paula então explorou outras formas de expressão artística, como a escultura – moldada em metal, madeira ou argila.

A gravura é uma técnica na qual uma chapa metálica serve de matriz e origina as imagens finais – Foto: Paula Gabbai

 

A analogia feita pela artista entre o desenho do corpo humano e o de uma catedral é o foco da exposição. Todos os elementos expostos se relacionam com essa ideia de integração entre estrutura e individualidade, que resulta numa conexão consigo mesmo e com o espaço que rodeia a existência de cada indivíduo.

A ideia da constituição física humana como edifício é apresentada pela idealizadora da exposição em sua tese de doutorado. “Visualmente, a catedral é formada por eixos, linhas de força, múltiplas arestas e vértices, que estruturam os cheios e vazios. Tal qual o desenho da coluna vertebral: a coluna é espinha dorsal, eixo que organiza o crescimento do corpo da base ao topo, em movimento ascendente”, descreve Paula na tese.

.

A escultura da coluna em metal e uma gravura, também em metal, ao fundo – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.

A figura de uma coluna, ao lado de uma escultura de ferro, é uma das principais peças expostas, e simboliza o ponto de sustentação e equilíbrio do corpo. “Desenvolvi a coluna pensando nas questões de proporção e estrutura corporal. Acredito que ela concentre todas essas questões de espaço, luz, matéria, e ela é o centro da produção deste trabalho”, explica a artista.

A artista, arquiteta e urbanista Paula Gabbai – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O interesse da doutora em Artes Visuais na poeticidade dos elementos arquitetônicos já é antiga. Ela é formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, e em 2013 ingressou no doutorado na ECA, justamente por esse encanto pelo viés artístico – que a exposição, organizada pela ECA, consegue retratar muito bem. Segundo a artista, “o lado poético da arquitetura vem muito da ideia de construção, das possibilidades de espaço e de forma. É isso que me leva a essa aproximação mais subjetiva”.

Esse pensamento é também o que explica o nome da exposição. “Os canteiros onde se produz a construção da arquitetura, a catedral interior, os ateliês, são lugares onde estamos pensando e colocando em prática. Todo o sentido vem do próprio fazer, da realização material das obras.” Paula Gabbai também ressalta que a possibilidade de que o visitante interprete de forma única as obras é algo que a interessa muito.

No dia 18 de fevereiro, segunda-feira, às 11 horas, o grupo de cordas da Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) se apresentará no Museu de Anatomia Humana do ICB. O concerto faz parte das atividades de inauguração da exposição Canteiros e Matrizes (Uma Catedral Interior) e da Semana de Recepção aos Calouros da USP. Leia aqui nota do Jornal da USP sobre essa apresentação.

A exposição Canteiros e Matrizes (Uma Catedral Interior), de Paula Gabbai, ficará em cartaz de 19 de fevereiro a 19 de abril, de segunda a sexta-feira, das 9 às 16 horas, no Museu de Anatomia Humana (MAH) Professor Alfonso Bovero do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP (Avenida Professor Lineu Prestes, 2.415, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 167
  •  
  •  
  •  
  •