Eventos mostram a Independência segundo Manuel de Oliveira Lima

Seminário e exposição acontecem na Biblioteca Brasiliana nos próximos dias 10 e 11, com entrada grátis

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=270433
Detalhe do cartaz do evento sobre o jornalista, crítico de arte e professor Manuel de Oliveira Lima na Biblioteca Brasiliana da USP – Foto: Divulgação BBM

Oliveira Lima e a (Longa) História da Independência é o tema do seminário que a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP apresenta nos próximos dias 10 e 11 de setembro, das 8 às 18 horas. Nos dois dias de atividades, haverá palestras de especialistas sobre a vida e a obra do jornalista, crítico de arte e professor pernambucano Manuel de Oliveira Lima (1867-1928). Haverá ainda uma exposição, em cartaz nos dois dias do evento, que mostrará as várias edições de livros que Oliveira Lima escreveu sobre o processo e as consequências da Independência do Brasil. A conferência de abertura do seminário, no dia 10, às 9h30, será proferida pelo historiador Carlos Guilherme Mota, professor do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP (confira a programação completa do seminário no site do evento).

“Em 2017 comemorou-se o sesquicentenário do nascimento de Oliveira Lima, porém, com poucos eventos. Por outro lado, estamos em pleno período que antecede as homenagens ao bicentenário da Independência”, explica André Heráclio do Rêgo, diplomata, historiador e pós-doutorando do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP, que atua na coordenação da programação. “Pensei em unir as duas coisas, e sugeri à Biblioteca Mindlin que fosse realizado um seminário tendo por tema a contribuição de Oliveira Lima para a historiografia da Independência, no âmbito do Projeto 3 vezes 22, que a BBM está promovendo.”

Um pesquisador das sociedades brasileira e portuguesa

Manuel de Oliveira Lima nasceu em Pernambuco no dia 25 de dezembro de 1867, mas foi educado em Lisboa, Portugal. Tornou-se professor da Universidade de Harvard e foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras (ABL). Dedicou-se a pesquisar e escrever sobre a sociedade brasileira e portuguesa. “Ele descreveu a sociedade brasileira e a portuguesa, desvendando as intrigas políticas e diplomáticas que caracterizaram o movimento da Independência e o reconhecimento do Império”, explica Heráclio do Rego. “Deixou retratos definitivos de grandes personagens da época, a começar por Dom João VI, compondo um panorama do Brasil e de Portugal no período que vai de 1808 a 1834.”

O seminário Oliveira Lima e a (Longa) História da Independência tem como meta resgatar e valorizar a obra do historiador. Os participantes vão observar o processo e as consequências da Independência num período de 150 anos, de 1750 a 1900, coberto por diversos livros de Oliveira Lima. A exposição destaca as suas primeiras edições com relatos e gravuras de viajantes que vieram ao Brasil no período, reunindo também manuscritos e livros da época, oriundos do acervo da Biblioteca Brasiliana Mindlin e do IEB.

Oportunidade para redimensionar a história do Brasil

Alexandre Macchione Saes, vice-diretor da BBM, observa a importância da inserção do seminário e da exposição Oliveira Lima e a (Longa) História da Independência no Projeto 3 vezes 22. “Temos buscado adiantar as comemorações do bicentenário da Independência e do centenário da Semana de Arte Moderna para poder promover atividades e produzir material em torno das duas datas e das questões que nos aproximam de 2022. Desde 2017 temos organizado eventos e cursos, e muito em breve teremos as primeiras publicações do projeto, que certamente oferecerão ao público material para refletir sobre o significado dessas duas efemérides, assim como para avaliar criticamente o cenário em que nos encontramos hoje.”

Segundo Saes, o Projeto 3 vezes 22 abre a oportunidade para refletir e redimensionar a história da formação do Estado, da sociedade e da cultura brasileira. Para ele, não será apenas a celebração de duas datas canônicas, mas a tentativa de entrecruzar temporalidades entre a Independência, em 1822, o Modernismo em 1922 e a história do tempo presente em 2022.

“O Projeto 3 vezes 22 possui uma Comissão Organizadora que apresenta propostas de seminários, cursos e exposições. Também avalia propostas de pessoas interessadas em realizar atividades que discutam temas pertinentes ao projeto”, observa Saes, que também é professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP.

A exposição e o seminário Oliveira Lima e a (Longa) História da Independência serão realizados nos dias 10 e 11 de setembro, das 9 às 18 horas, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP (Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. Mais informações podem ser obtidas no site do evento.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •