Evento na USP aborda a viagem de Delacroix ao Marrocos

Nesta segunda-feira, dia 11, a partir das 9 horas, na USP, professora vai abordar a obra do pintor francês

Por - Editorias: Cultura
Eugène Delacroix, Mulheres de Argel em seu Apartamento (1834), óleo sobre tela, 180 × 229 cm – Foto: Domínio Público via Wikimedia Commons

.
Ocorre na segunda-feira, dia 11 de junho, na sala Villa-Lobos da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, o seminário
Delacroix e o Marrocos: o Oriente na Pintura de um Romântico, apresentado pela professora Ana Beatriz Demarchi Barel, da Universidade Estadual de Goiás (UEG). O evento faz parte do Ciclo de Seminários História das Relações Franco-Brasileiras: França e Brasil em textos e telas do século XVIII ao século XX, com início às 9 horas e término às 17 horas.

Cartaz de divulgação do evento – Foto: Divulgação / Biblioteca Brasiliana (Clique na imagem para ampliar)

A palestra gira em torno da viagem que o pintor francês Eugène Delacroix (1798-1863), um dos principais nomes do Romantismo, fez ao Marrocos, numa missão diplomática francesa. “Vou tratar mais especificamente da produção de aquarelas e desenhos que ele reproduziu na viagem e, ao mesmo tempo, de como essa produção pictórica se relaciona com o material escrito do artista, que são as anotações do diário de viagem”, antecipa Ana Beatriz.

Com a impossibilidade de levar para as ruas o cavalete, o quadro e as tintas para a mistura, e por ter pouco tempo, já que estava em uma missão oficial, Delacroix utilizava um método diferente para registrar o que observava: ”Ele leva um bloquinho e uma caixinha com as tintas aquarela, que são mais fáceis de misturar com água, e vai desenhando. Em alguns rascunhos, é possível ver setas com anotações como ‘pintar de amarelo’ ou ‘pintar de branco’, por exemplo”.

Já em seu diário, o pintor francês retrata tanto aspectos da própria missão quanto observações sobre o local. ”Ele anotava suas impressões sobre a presença e a postura dos franceses no Marrocos, e também sobre a população e a arquitetura desse povo que ele não conhecia.” Para ela, é justamente o complemento entre pintura e literatura que torna a viagem do pintor tão rica. ”Eles se completam e geram um registro daquele momento histórico.”

Este é o quarto seminário de cinco previstos para o Ciclo de Seminários História das Relações Franco-Brasileiras: França e Brasil em textos e telas do século XVIII ao século XX, todos apresentados por Ana Beatriz. Ela conta que, apesar de parecer distante do tema principal, a viagem de Delacroix ao Marrocos tem bastante influência no Brasil e na América Latina como um todo. ”Sendo Delacroix um grande expoente do Romantismo, é evidente que os preceitos e a maneira de encarar os temas que aparecem na obra dele acabam respingando na formação cultural da América Latina e da nossa pintura histórica.” Apesar de nunca mais ter voltado àquele país, a viagem foi muito importante para a produção posterior do pintor, segundo a professora. ”Muito tempo depois, quadros a óleo ainda abordavam essa temática”, conta.

O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas no e-mail: bbm@usp.br. Mais informações estão disponíveis na página do evento no site da biblioteca.

Textos relacionados