Curso on-line grátis aborda a família na literatura do século 20

Aberto a todos os interessados, evento inclui análise de obras de Drummond, Guimarães Rosa e Clarice Lispector

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=350344
Cena do filme Lavoura Arcaica (2001), de Luiz Fernando Carvalho, baseado no livro homônimo de Raduan Nassar, publicado em 1975: a obra será tema de uma das aulas do curso Figurações da Família na Literatura Brasileira do Século 20 – Foto: IEA
No período de 15 de setembro a 3 de novembro, sempre às terças-feiras, das 10 às 12 horas, será realizado, via plataforma Zoom e gratuitamente, o curso de difusão cultural Figurações da Família na Literatura Brasileira do Século 20. Promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, é aberto a estudantes de graduação e pós-graduação, a professores e ao público em geral, e será ministrado pela professora Belinda Mandelbaum, do Departamento de Psicologia Social do Instituto de Psicologia da USP, onde coordena o Laboratório de Estudos da Família, Relação de Gênero e Sexualidade. No curso, serão examinadas obras de Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Mário de Andrade e Raduan Nassar.

Segundo a professora, o objetivo é fazer uma imersão em estudos que ajudem na compreensão de dimensões da família brasileira, utilizando campos do saber diversos, em diálogo com textos literários. “Vamos utilizar obras literárias de cinco grandes escritores com a intenção de depreender dos textos literários aspectos importantes das concepções de família presente, dos papéis do homem e da mulher dentro da família, das relações entre as gerações, das transformações dessa família ao longo do século 20, do conflito entre filhos e pais e da questão da moral familiar. Ou seja, uma série de aspectos que compõem a família brasileira dentro da cultura, em contextos socioculturais e geográficos diferentes”, explica Belinda.

O curso está dividido em oito aulas. As três primeiras abordam as contribuições teóricas e metodológicas advindas da história, antropologia, sociologia, antropologia, psicologia e psicanálise que possam fundamentar a leitura de textos literários e a pesquisa dos temas relacionados à família. “Vamos lançar mão de estudos das ciências humanas”, informa a professora, acrescentando que no primeiro momento o curso vai oferecer algumas noções essenciais de como a família foi pensada através desses campos. “Todas essas áreas são importantes para entender como a família se comporta. A família, por um lado, é um grupo de pessoas, em íntima relação e em conflito, e para isso a psicanálise nos ensinou muito. Por outro lado, é uma caixa de ressonâncias da vida social, que se transforma a partir das mudanças sociais, econômicas e culturais”, analisa.

A professora Belinda Mandelbaum, do Instituto de Psicologia da USP, vai ministrar o curso promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP – Foto: Jornal da USP

Além, disso a professora quer oferecer ferramentas para se ler um texto literário. Na terceira aula, Belinda utiliza textos de Paul Ricoeur (O Que é Um Texto?), Antonio Candido (Elementos da Compreensão) e Davi Arrigucci Jr (entrevista sobre a concepção da interpretação e sobre como ler um texto). “Esses três autores propõem uma leitura do texto que integra uma leitura desarmada do texto literário, ou seja, uma imersão no texto literário, e ao mesmo tempo uma leitura em diálogo com os determinantes objetivos de produção de um texto, que dizem respeito ao momento em que esse texto foi escrito, ao autor e ao contexto cultural e ideológico de onde emergiu. Esses determinantes objetivos fazem uma moldura e ampliam a leitura do texto; e fazem todo sentido quando o objetivo é pensar a questão da família na literatura, porque podemos ter elementos de uma certa concepção que está ali presente no texto, mas que também reverbera uma sociedade, uma cultura ou um determinado local”, afirma Belinda.

Os autores selecionados refletem essas variações e são temas das cinco aulas seguintes. Uma das obras analisadas será o conto O Peru de Natal, do livro Contos Novos (1947), de Mário de Andrade, que tematiza a ruptura com tradições da família patriarcal brasileira e a emergência de um sujeito moderno no Brasil, como conta a professora. Na sequência, A Imitação da Rosa, do livro Laços de Família (1960), de Clarice Lispector, apresenta uma dona de casa, de classe média, no Rio de Janeiro. “As mulheres de Clarice permitiram uma reflexão importante sobre o lugar da mulher”, comenta Belinda.

Sorôco, Sua Mãe, Sua Filha, do livro Primeiras Histórias (1962), de Guimarães Rosa, traz um homem do sertão e a chegada da modernidade, abordando a questão da ruptura familiar. “É um lindo conto que se passa no momento em que um homem viúvo, que vive com duas mulheres, as leva para a estação de trem, de onde partem para uma colônia psiquiátrica, em Barbacena. É muito bonita a questão que Guimarães tematiza, da manutenção de uma cultura familiar, muito íntima, das tradições, das cantigas, que de alguma maneira corre o risco de se perder, mas que a literatura procura resgatar”, diz.

Para a penúltima aula, a professora selecionou vários poemas de Carlos Drummond de Andrade: Confidências do Itabirano, Retrato de Família, Convívio e Perguntas, de Antologia Poética (1962); Mancha, Paredão e Fim da Casa Paterna, de Boitempo (1968). “Em Drummond temos a Minas Gerais do fim do século 19 e início do século 20, com a questão da família patriarcal mineira. Drummond é de uma família de fazendeiros”, conta Belinda. Segundo ela, sua poesia tematiza as questões de família, dos traumas da história – da escravidão e do patriarcado –, e talvez ela seja uma maneira de elaborar esses traumas da história familiar e pessoal dele. “Todos os poemas selecionados tratam da origem do autor, da origem familiar, de Itabira e de como essa origem o marcou.”

Por fim, Lavoura Arcaica, romance de 1975 de Raduan Nassar. “Texto incrível que não se sabe exatamente onde se passa, mas é no interior do Brasil, em uma fazenda, onde vive uma família de origem árabe, tal como o próprio escritor”, conta, informando que, assim como a poesia de Drummond, o livro de Raduam Nassar tem muitos aspectos autobiográficos.

Belinda acrescenta que um “fio condutor” que percorre o curso são as próprias transformações do Brasil do século 20 e como a literatura contribui para um questionamento mais intenso dessa sociedade em transformação, e que são diferentes também em cada autor.

O curso Figurações da Família na Literatura Brasileira do Século 20 será realizado de 15 de setembro a 3 de novembro, na plataforma Zoom. São oferecidas 100 vagas. É necessário fazer inscrição até o dia 8 de setembro no Sistema Apolo. Mais informações neste link. Será distribuído certificado de participação para quem tiver 85% de frequência nas aulas. O curso é promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.