Coro de Câmara Comunicantus participa de festival em Maringá

Coro da USP se apresenta no Festival Internacional de Corais de Maringá, que acontece de 27 a 29 de setembro

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=197621
  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  
O Coro de Câmara Comunicantus é o convidado especial do 22º Festival Internacional de Corais de Maringá – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

.
Conhecida como cidade-canção, Maringá se destaca pela quantidade, qualidade e diversidade musical no gênero canto coral e é sede do Festival Internacional de Corais (FIC) de Maringá, no Paraná, que chega à sua 22ª edição. Realizado de 27 a 29 de setembro, às 20 horas, no Teatro Regional Calil Haddad, o festival reúne grupos da Argentina, Paraguai e Brasil.

Em todas as edições, um coro de referência é convidado pelo festival. Neste ano, o evento traz o Coro de Câmara Comunicantus, regido pelo maestro Marco Antonio da Silva Ramos, professor do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, onde leciona Regência Coral. “Ficamos muito contentes com o convite do diretor artístico do evento”, diz o maestro, ressaltando a importância de receber esse reconhecimento.

Destaque também para os grupos internacionais Canta Pueblo, de Mendoza, na Argentina, com regência de Joaquín Martinez Davilla, e Cantemos Coral Juvenil (sensação do festival anterior) e coro Batista, ambos da cidade de Carmen Del Parana, no Paraguai, e sob a regência de Daniel Regis.

Com uma quantidade recorde de inscritos, o FIC Maringá não é competitivo, mas de formação e integração entre os 18 grupos corais participantes, incluindo os vários coros maringaenses. Nesta edição, uma das novidades é um city tour a capelas históricas da cidade, em que os grupos se apresentam enquanto os visitantes conhecem um pouco da história dos prédios religiosos. Também está programada uma apresentação no paço municipal, além de masterclasses e cursos.

Participação especial do Comunicantus

O Coro de Câmara Comunicantus, do Laboratório Coral do Departamento de Música da ECA, é voltado ao ensino e à prática da performance coral, e formado por bolsistas de graduação do Programa Unificado de Bolsas da USP – aberto a todos os alunos de graduação da Universidade, que atualmente conta com a participação de três alunos de outras áreas, mas com formação musical: dois da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e um da Escola Politécnica, como cita o maestro.

Com curadoria da professora da ECA Susana Cecilia Igayara Souza, coordenadora adjunta do Comunicantus, o coro vai interpretar dois programas. O primeiro, intitulado Pra Dizer Numa Canção, traz músicas nacionais e internacionais, como Pôr do Sol, de Eduardo Gudin, com texto de Marco Antonio da Silva Ramos e arranjo de Carlos Menezes Jr.; A Primeira Missa e o Papagaio, de Osvaldo Lacerda, com texto de Cassiano Ricardo; She’s Leaving Home, de John Lennon e Paul McCartney, com arranjo de Marcos Leite; e o tango El Dia Que Me Quieras, de Carlos Gardel e Alfredo Le Pera, com arranjo de Vivian Tabbush.
.

A professora Susana Cecilia Igayara Souza e o maestro Marco Antonio da Silva Ramos: Comunicantus promove a integração entre ensino, pesquisa e extensão – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

.
A professora Susana lembra que há também arranjos feitos por pós-graduandos, ou seja, peças que ganharam arranjos em teses ou dissertações. Além disso, uma das peças, São João Dararão, da suíte Viajando pelo Brasil, tema folclórico do Piauí com arranjo de Ernst Mahle, será apresentada pelo regente assistente José Luiz Ribalta, que faz doutorado em Performance em Regência Coral com o professor Silva Ramos. Tanto a professora quanto o maestro reiteram a integração entre ensino, pesquisa e extensão.

O outro programa, Coro de Câmara Canta Obras Sacras, traz um trecho de uma peça de Franz Liszt, Tu és Petrus, do oratório Christus, acompanhada pelo pianista Vinícius Benalia Penteado, e uma obra de Franz Schubert, Chor der Engel (aus Goethe’s “Faust”), do repertório tradicional do canto coral internacional. Outro destaque é Salmo 22, da compositora carioca Cláudia Helena Alvarenga, uma peça que tem história, como diz Susana. “O Coral da ECA estreou essa peça, ganhando um prêmio em um concurso, e agora é retomada nesse repertório.” Completam o programa Cor Dulce, Cor Amabile, de Heitor Villa-Lobos, e Beati Quórum Via – Op. 38, de Charles Villiers Stanford.

Além de reger as apresentações, o maestro vai ministrar, no dia 27, das 9 às 12 horas, a palestra Pergunta certa: o intérprete frente às disciplinas e ferramentas teóricas, uma conversa sobre análise musical voltada à performance em canto coral. Dirigida a regentes, pesquisadores, acadêmicos, músicos e demais interessados, a oficina vai trazer questões referentes aos parâmetros do som, as relações entre texto e música, os grandes pontos de apoio e as possibilidades de escolha interpretativa. É uma abordagem técnica do capítulo de mesmo título da tese de livre-docência do maestro.

.

O Coro de Câmara Comunicantus da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP – Foto: Divulgação/ECA-USP

.

Ainda serão realizadas masterclasses com o maestro Marco Antonio da Silva Ramos, sobre regência coral, e com o maestro argentino Joaquín Martinez Davilla, sobre composição e arranjo coral. Toda a programação do festival está ligada ao principal objetivo do Laboratório Comunicantus: a integração entre ensino, pesquisa e prática coral, como diz Silva Ramos.

O 22º Festival Internacional de Corais (FIC) de Maringá será realizado de 27 a 29 de setembro, às 20 horas, no Teatro Regional Calil Haddad (Avenida Luís Teixeira Mendes, 2.500, zona 05, Maringá, no Paraná). Entrada grátis (é preciso retirar o voucher no site do festival, que deverá ser trocado na bilheteria do teatro). Já os cursos têm valores que variam de R$ 25,00 a R$ 60,00. Mais informações podem ser obtidas no site do festival

  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados