“Chorando Sem Parar” terá 12 horas de música em ritmo de choro

Com artistas do Brasil e do exterior, evento neste final de semana faz homenagem ao violonista Raphael Rabello

Raphael Rabello (1962-1995): um dos maiores violonistas da história da música brasileira recebe homenagem in memoriam e empresta o nome à 17ª edição do Chorando Sem Parar, evento já tradicional realizado anualmente em São Carlos (SP) – Foto: Reprodução

 

Músicos do Brasil e do exterior vão participar da 17ª edição do Chorando Sem Parar – evento dedicado à divulgação do choro e da música instrumental -, que será realizada em formato virtual neste final de semana, nos dias 19, 20 e 21. Neste ano, o convidado homenageado será o violonista, pesquisador e produtor musical Maurício Carrilho – sobrinho do flautista Altamiro Carrilho (1924-2012). Será feita homenagem in memoriam ao violonista Raphael Rabello (1962-1995) – que dá nome a esta 17ª edição. Realizado desde 2004, o Chorando Sem Parar é promovido pela organização não-governamental Contribuinte da Cultura e pela Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), em parceria com o Centro Cultural do campus da USP em São Carlos, a Prefeitura de São Carlos e o Sesc. Gratuito, ele poderá ser visto através do site e da página do evento no Youtube.

O violonista Maurício Carrilho – Foto: Reprodução via Rádio Batuta

No domingo, dia 21, o Chorando Sem Parar vai oferecer 12 horas ininterruptas de música instrumental, das 10 às 22 horas, com a participação de 50 instrumentistas brasileiros e estrangeiros. O programa, que foi gravado e produzido exclusivamente para o evento, prevê a apresentação de duas a três composições por músico. “Assim o público terá a oportunidade de assistir a um grande número de estilos e de interpretações magníficas”, de acordo com o site do evento. “Faz parte da programação de 12 horas uma série de depoimentos inéditos sobre Raphael Rabello, vídeos com registros essenciais de sua carreira e entrevistas ao vivo com nomes de grande importância na história e na memória de Raphael.”

A lista dos artistas participantes é longa e de alta qualidade. Entre eles estão o violonista maranhense Turíbio Santos – que já gravou ao lado do violinista norte-americano Yehudi Menuhin e do violoncelista russo Mstisláv Rostropóvitch -, a clarinetista e saxofonista norte-americana Anat Cohen, eleita Clarinetista do Ano por 13 anos consecutivos pela Jazz Journalists Association, dos Estados Unidos, e Dirceu Leite, do Rio de Janeiro, “um dos mais importantes instrumentistas de sopro em atividade no Brasil”, como destaca o site do evento. O Chorando Sem Parar contará ainda com a participação do bandolinista baiano Armandinho Macêdo, que soma mais de 50 anos de carreira, da Big Boom Orchestra (BBO), uma jazz band com formação tradicional que atua na cidade de São Carlos, e do Chorolê Ensanble, de Israel, grupo formado por israelenses e brasileiros que une o choro à música do Oriente Médio. O pianista e compositor norte-americano Cliff Korman, o bandolinista e compositor carioca Hamilton de Holanda, a cavaquinhista fluminense Luciana Rabello – irmã de Raphael Rabello -, a Orquestra Experimental da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) e o Wiener Choro Ensemble, da Áustria, também estão entre os participantes do evento.

A USP participa do Chorando Sem Parar não apenas como parceira das entidades organizadoras. Ela tem também um representante entre os “chorões” – como são conhecidos popularmente os artistas dedicados ao choro – que vão se apresentar no evento. Trata-se do professor Gustavo Costa, do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP. Doutor pela USP com uma tese em que fez a transcrição para violão das seis Sonatas e Partitas para Violino Solo (BWV 1001-1006) do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750), Costa integrou o Quarteto Brasileiro de Violões, que em 2011 ganhou o prêmio de melhor CD de música clássica no Grammy Latino com o álbum Brazilian Guitar Quartet Plays Villa-Lobos.

+ Mais

Rádio USP mostra a genialidade de Raphael Rabello

Além das 12 horas de música, o Chorando Sem Parar prevê a realização de palestras, oficinas e rodas de conversas, que ocorrerão nos dias 19 e 20. No dia 19, quinta-feira, às 17 horas, o pesquisador e músico Antônio de Pádua, diretor artístico do Wiener Choro Klub, da Áustria, vai falar sobre “A presença do choro do Nordeste na música de Raphael Rabello”. Às 19 horas, os violonistas Marco Pereira e Rogério Caetano vão abordar o tema “O protagonismo do violão de acompanhamento”. Já no dia 20, sábado, às 13 horas, Maurício Carrilho vai lembrar “O prazer de tocar com Raphael Rabello e o surpreendente início de nossas carreiras” e, às 14h30, Lucas Nobile, biógrafo de Raphael Rabello, e o violonista João Camarero discutem sobre “Raphael Rabello: o violão em erupção”. Para participar dessas atividades, que têm número limitado de vagas, é preciso fazer inscrição neste site.

O 17º Chorando Sem Parar será realizado nos dias 19, 20 e 21 de fevereiro no site e na página do evento no Youtube. A programação completa do evento está disponível neste site, onde podem ser feitas as inscrições para os debates. Grátis.

Mais informações e entrevistas com os artistas participantes do evento estão disponíveis nos canais do Centro Cultural USP de São Carlos no Instagram, no Facebook e no Youtube.

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.