Casa de Dona Yayá tem brinquedo, brincadeira e marchinha no domingo

Programação gratuita para crianças e adultos celebra aniversário de Sebastiana de Mello Freire, a Dona Yayá

Por - Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=219478
  • 136
  •  
  •  
  •  
  •  
Bloco Dona Yayá – Foto: Divulgação/Casa de Dona Yayá

.
Neste domingo, 20 de janeiro, a Casa de Dona Yayá, sede do Centro de Preservação Cultural (CPC) da USP, abriga oficina de confecção de brinquedos, atividades de jogos e brincadeiras e apresentação de marchinhas de Carnaval. A programação comemora o aniversário de nascimento de Sebastiana de Mello Freire, a Dona Yayá, última moradora da casa que recebe seu nome.

Das 10h30 às 13h30, educadores e monitores apresentam brincadeiras e ministram oficinas de criação de brinquedos típicos do final do século 18 e início do século 19. Jogos de roda, cobra-cega e esconde-esconde integram as atividades, destinadas para o público de todas as faixas etárias. Segundo os organizadores, a proposta é que, a partir do resgate das brincadeiras do passado, crianças e adultos vivenciem diferentes modos de brincar, muitas vezes ofuscados pelas novas tecnologias.

A partir das 13h30 entra em cena o Bloco Dona Yayá, apresentando suas marchinhas para o Carnaval 2019. Organizado pela União de Mulheres do Município de São Paulo, o bloco tem 18 anos de cortejos pelas ruas do Bixiga, abordando em suas letras temas como questão de gênero, direitos das mulheres e saúde mental.
.

Casa de Dona Yayá – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.
Dona Yayá, tragédia e reclusão

Nascida em 21 de janeiro de 1887, na cidade de Mogi das Cruzes, Sebastiana de Mello Freire pertencia à aristocracia paulista. Teve infância e juventude marcadas por tragédias familiares, que lhe tomaram pai, mãe e irmãos. Em 1919, já sozinha, em virtude de sinais recorrentes de desequilíbrio emocional, foi internada em um hospital psiquiátrico e considerada incapaz de administrar a fortuna de sua família, da qual era a única herdeira.

No ano seguinte, por conselhos médicos, prosseguiu com seus tratamentos na chácara então localizada nos limites da cidade, uma propriedade tranquila e distante da confusão urbana. Nesta residência, Dona Yayá viveria reclusa durante cerca de 40 anos.

Com seu falecimento, em 1961, sua herança foi considerada vacante e a chácara passou aos cuidados da Universidade de São Paulo em 1969. Hoje, a Casa de Dona Yayá abriga o CPC, órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da USP.

No vídeo abaixo, você conhece um pouco mais sobre a Casa de Dona Yayá.

..

.

A programação Brinquedos e brincadeiras é uma parceria entre o CPC, o Museu da Educação e do Brinquedo (MEB) da Faculdade de Educação (FE) da USP e o grupo União de Mulheres do Município de São Paulo.

A Casa de Dona Yayá fica na Rua Major Diogo, 353, na Bela Vista, em São Paulo. A entrada é gratuita e mais informações podem ser obtidas pelos telefones (11) 2648-1501/1511 ou pelo e-mail cpcdivulga@usp.br.

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 136
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados