Biblioteca da USP recebe 2 mil mangás de universidade japonesa

Entre as obras doadas está a versão original de “Dragon Ball”, um dos mais famosos mangás do Brasil

Por - Editorias: Cultura
Mangás doados pela Universidade de Meiji para a biblioteca do Centro de Estudos Japoneses da USP – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Em 2017, a biblioteca do Centro de Estudos Japoneses Teiiti Suzuki, localizada na Casa de Cultura Japonesa da USP, foi notificada de que receberia uma doação de mil mangás da Universidade de Meiji, do Japão. Neste mês de maio, a mesma biblioteca foi novamente informada sobre mais uma doação de mil mangás. No dia 21 passado, houve uma solenidade da formalização dessa parceria entre as duas instituições.

A versão original de Dragon Ball, um dos mangás mais famosos do Brasil, é uma das atrações do acervo recém-chegado à USP. Após serem catalogados, os mangás poderão ser consultados por todos os interessados.

Mangás são histórias em quadrinhos japoneses que receberam influência direta dos cartuns ocidentais e quadrinhos da Disney. O artista japonês Osamu Tezuka (1928-1989), com a obra Shin Takarajima (“A Nova Ilha do Tesouro”), de 1947, é considerado o criador desse tipo de quadrinhos. No entanto, o termo tem uma origem mais antiga, no início do século 19, com os hokusai mangá, esquetes que traziam caricaturas e ilustrações sobre a cultura japonesa, produzidas pelo artista Katsushika Hokusa (1760-1849). A partir dos mangás foram surgindo também os animês, que são versões animadas das histórias em quadrinhos.

Mangás são histórias em quadrinhos japonesas que receberam influência direta dos cartuns ocidentais e quadrinhos da Disney – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

A Universidade de Meiji possui uma biblioteca com um grande acervo de mangás e por isso vem doando milhares de exemplares para instituições ligadas à cultura nipônica pelo mundo. O primeiro contato da instituição japonesa com a USP se deu pelo fato de Masato Ninomiya, professor do Departamento de Direito Internacional da Faculdade de Direito (FD) da USP, doutor pela Universidade de Tóquio, ter lecionado e ser assessor especial da Universidade de Meiji.

Hoje, os mangás não servem apenas ao entretenimento. Eles também influenciam carreiras. O diretor do Centro de Estudos Japoneses da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, Wataru Kikuchi, destaca que a maioria dos alunos do curso de Letras que escolheram a habilitação em Japonês  declarou ter feito essa opção em razão da familiaridade com os quadrinhos e animações nipônicos. “Eu fiz uma rápida ‘pesquisa’ com os ingressantes do curso: 60% dos alunos afirmam que optaram pelo curso de Japonês por interesse em mangás e animês.”

Maioria dos alunos de Japonês da USP foi influenciada pelos mangás ao optar por esse curso – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O interesse vai além da graduação e por isso essas doações têm sido de suma importância para a biblioteca, afirma Kikuchi. “O público interessado é grande e muitas vezes os alunos começam a estudar japonês porque querem aprender por mangá. E o mangá se tornou um objeto de pesquisa, tanto na iniciação científica como no mestrado e no doutorado. É um fator de atração e, por isso, essa doação da Universidade de Meiji é muito importante para a biblioteca.”

A Biblioteca Teiiti Suzuki também doará livros para Universidade Federal do Amazonas, que tem uma recente habilitação em Japonês em seu curso de Letras. 

O professor Wataru Kikuchi (ao fundo), com a estagiária Tauane Falcão e os professores Leiko Matsubara Morales e Masato Ninomiya: mangás se transformaram em objeto de estudo acadêmico – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Centro de Estudos Japoneses (CEJ) da USP foi fundado pelo professor Teiiti Suzuki em 18 de novembro de 1968 e, após a Reforma Universitária de 1970, foi remanejado para o Departamento de Linguística e Línguas Orientais da FFLCH. A partir de 1976 ele passou a ocupar as dependências da Casa de Cultura Japonesa, espaço cultural fundado pela Aliança Cultural Brasil-Japão na Cidade Universitária.

A construção da Casa de Cultura Japonesa contou com doações do governo japonês (Programa de Subvenções Especiais, Fundação Japão), Nippon Keidanren (Federação das Organizações Econômicas do Japão), Banpaku Kikin (Organização Comemorativa da Exposição Mundial de 1970), Nippon Usiminas e entidades e pessoas físicas e jurídicas do Brasil e do Japão. O espaço foi administrado pela Aliança Cultural Brasil-Japão por anos e depois pela organização não governamental Oisca. Em 2004, passou a ser mantida pela FFLCH.

A Biblioteca do Centro de Estudos Japoneses Teiiti Suzuki fica na Casa de Cultura Japonesa (Avenida Professor Lineu Prestes, 159, Cidade Universitária, em São Paulo-SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3091-2423 e pelos e-mails cejap.biblio@usp.br e cejap.biblio@gmail.com. O catálogo da biblioteca está disponível em bibliotecacejap.fflch.usp.br.

Textos relacionados