Nova diretoria da FFCLRP toma posse no próximo dia 9 de setembro

O desafio da nova dupla de gestores da Unidade, Pietro Ciancaglini e Marcelo Mulato, será traçar um plano estratégico aglutinador para os próximos dez anos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O desafio da nova dupla de gestores da Unidade, Pietro Ciancaglini e Marcelo Mulato, será traçar um plano estratégico aglutinador para os próximos dez anos

IMG_0667 1
Os novos dirigentes da Unidade, Pietro Ciancaglini e Marcelo Mulato, tomam posse no dia 9/9

Na próxima sexta-feira, dia 9 de setembro, às 10h30, os professores Pietro Ciancaglini e Marcelo Mulato tomam posse, respectivamente, como diretor e vice-diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). A cerimônia será realizada na Sala de Concertos da Tulha, localizada no Bloco 29 do Departamento de Música da FFCLRP (Rua Mário de Andrade, s/n, no campus USP de Ribeirão Preto).

Pietro Ciancaglini é professor titular do Departamento de Química da FFCLRP, onde ingressou em 1995. Desde o início da carreira, já atuou em diferentes atividades administrativas, dentre elas, foi presidente da Comissão de Graduação da Unidade, do Conselho do Departamento de Química e da Comissão Coordenadora do Curso de Bacharelado em Química. É secretário da Sociedade Brasileira de Biofísica (SBBf) e atual diretor científico da SBBf. Foi vice-diretor da FFCLRP.

Marcelo Mulato é professor associado 3 desde 2012. Ingressou no antigo Departamento de Física e Matemática, em 2000. Foi coordenador do curso de graduação em Física Médica, do curso de Pós-Graduação em Física Aplicada à Medicina e Biologia, presidente da Comissão de Pós-Graduação, vice-chefe e chefe do Departamento de Física, todos na FFCLRP.

Os novos dirigentes começaram a gestão no dia 9 de agosto com o desafio de construir um plano estratégico aglutinador para a Unidade, gerado a partir do diagnóstico das atividades desenvolvidas. As principais metas da gestão estão alicerçadas no resultado da última avaliação institucional realizada pela Universidade.

A Filô, como é carinhosamente conhecida pela comunidade acadêmica, foi inovadora com a criação de seus cursos de graduação, que levam à formação de profissionais em habilidades de interesse regional e de destaque nacional. A produção científica do corpo docente da Unidade também a coloca sistematicamente entre as dez mais produtivas da USP. A Faculdade tem oito programas de Pós-Graduação credenciados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Mesmo com toda excelência alcançada, incentivar a criação de novos cursos de pós-graduação em áreas ainda inexistentes e aumentar a produção cientifica estão entre as metas dos novos gestores.

(Com informações e foto do Serviço de Comunicação Social da Prefeitura do Campus USP de Ribeirão Preto)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados