Manual reúne e identifica a biodiversidade dos invertebrados marinhos

O lançamento virtual do segundo volume do ‘Manual de Identificação dos Invertebrados Marinhos da Região Sudeste-Sul do Brasil’ acontecerá nesta quarta-feira (20), às 18h30

 19/10/2021 - Publicado há 2 meses
Por
Banner do evento – Foto: Divulgação


Desde áreas entremarés e fundos rasos até profundidades de 3 mil metros na região sudeste-sul do Brasil, há uma rica fauna de invertebrados marinhos; cada um com seu próprio habitat, localização geográfica, com suas características e peculiaridades. O segundo volume do
Manual de Identificação de Invertebrados Marinhos, da Editoria da USP (Edusp), reúne, caracteriza, ilustra e identifica 225 espécies pertencentes a esse grupo de seres sem coluna vertebral que vivem nos mares e lagos e brilham os olhos de naturalistas, pesquisadores, estudantes, professores e fãs da vida marinha. O lançamento virtual da obra acontecerá nesta quarta-feira (21), às 18h30, no canal do youtube do Museo de Diversidade Biológica (MDbio), do Instituto de Biologia (IB) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

O projeto é parte Programa de Pesquisas em Caracterização, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade do Estado de São Paulo, chamado de ‘Programa Biota’, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e organizado pelas pesquisadoras Tatiana Steiner, Cecília Amaral e Michela Borge.

O objetivo do livro é dar seguimento a série de manuais que busca trazer informações sobre os invertebrados marinhos de modo acessível, didático e ilustrado – para dar suporte, referência e inspiração ao estudo da zoologia marinha brasileira. Comparado à primeira edição, de 2006, também pela Edusp, que abrigava 185 espécies, essa comemora o sucesso da anterior e amplia e complementa o conhecimento da fauna bentônica marinha da região. Outra motivação para publicação da coletânea é preencher a lacuna de conhecimento sobre esses seres, ainda mais visto o acelerado processo de perda da biodiversidade, devido às ações humanas, o que põe em risco a extinção de espécies ainda sequer conhecidas. 

A nova edição cataloga os animais a partir do material dos programas Biota/Fapesp-Bentos Marinho, Revizee/Score Sul-Bentos e de outros projetos e os divide em três grandes grupos taxonômicos. O filo Mollusca é repartido em três classes:  Polyplacophora, da qual pertencem os quítons; a Bivalvia, grupo das ostras e mexilhões, e Gastropoda, dos caracóis e lesmas. Uma das famílias desse filo com mais espécies descritas no manual é a phasianellidae, que agrupa os pequenos caramujos marinhos chamados de  “conchas de faisão” ou “caramujos faisões”.

O filo seguinte é o Annelida, representado pelos Polychaeta, os ‘vermes aquáticos’. Por fim, o Echinodermata, com as classes Asteroidea e Ophiuroidea, que tratam das estrelas-do-mar, e a Echinoidea, dos ouriços-do-mar. Ao longo das 344 páginas, os filos são apresentados a cada capítulo com as descrições das espécies em linguagem clara, sintética, visual e de rápida consulta. 

O trabalho, que não esgota o estudo e sim dá continuidade aos conhecimentos da área, é fruto dos esforços de uma rede de pesquisadores e pós-graduandos das USP, Unicamp, Universidade do Estado do Rio (UERJ), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) , Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Estadual do Paraná (Unespar) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). 

Capa do livro: Manual de Identificação de Invertebrados Marinhos – Foto: Divulgação

O livro Manual de Identificação de Invertebrados Marinhos está disponível para compra no site da Edusp, neste link. O lançamento virtual, nesta quarta-feira (21), às 18h30, acontecerá no canal do youtube do MDbio -IB/Unicamp, que pode ser acessado aqui.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.