Higiene bucal na UTI reduz em 56% infecções respiratórias

Estudo foi feito com mais de 250 pacientes no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

 19/06/2018 - Publicado há 3 anos  Atualizado: 22/06/2018 as 19:58
Por

Ter um dentista atuando na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pode reduzir em até 56% as chances de desenvolvimento de infecções respiratórias nesses pacientes. Esse foi o resultado de estudo realizado com 254 pacientes adultos, internados na UTI do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP. O estudo integrou à equipe da UTI um cirurgião-dentista, prestando cuidados semanais aos pacientes.

O professor Fernando Bellíssimo Rodrigues, do Departamento de Medicina Social da FMRP, é um dos responsáveis pelo estudo. Ele adianta que a presença de cirurgião-dentista em UTI é uma prática que já ocorre em alguns hospitais do Brasil, mas não havia comprovação científica da eficácia desse profissional integrado à equipe de uma UTI. Ouça a entrevista no link acima.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.