Pesquisa de físico da USP sobre átomos em ‘armadilha óptica’ é premiada

Resultados do estudo podem fornecem novos conhecimentos para a área de computação quântica e para a físico-química

  • 1,1K
  •  
  •  
  •  
  •  
Arte sobre imagens da tese de Luís Felipe Gonçalves

.
Luís Felipe Gonçalves, doutor pela USP, foi vencedor do Prêmio de Tese de Doutorado da Sociedade Brasileira de Física (SBF).

Orientado pelo professor Luis Gustavo Marcassa, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, o trabalho Interações entre átomos de Rydberg no regime de bloqueio de excitação aborda as “interações entre átomos muito excitados aprisionados em uma armadilha óptica”.

Luís Felipe Golçalves, do IFSC-USP – Foto: Arquivo Pessoal

Segundo Gonçalves, o trabalho pode ser útil no desenvolvimento da computação quântica. Outra aplicação futura seria “um melhor entendimento dos mecanismos que governam a formação de moléculas”.

Átomos excitados, ou “átomos de Rydberg”, são átomos que, por receber uma grande quantidade de energia externa, interagem muito fortemente com outros átomos. O estudo contou, ainda, com uma técnica inédita na América do Sul, a armadilha óptica de dipolo do tipo quest, Este dispositivo funciona por meio da focalização de raios laser sobre os átomos aprisionados na armadilha. Nesse caso, foi usada uma câmara de ultra-alto-vácuo.

O trabalho completo pode ser acessado neste link.

Com informações de José Tadeu Arantes / Agência Fapesp

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 1,1K
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados