Estrutura urbana próxima a escolas interfere na prática de crimes

Estudo traz informações que podem auxiliar formulação de políticas públicas para melhora da segurança e qualidade de vida

Uma das conclusões da pesquisa aponta para um número maior de crimes nos arredores de escola com mais pontos de ônibus e bares – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

Por Raquel Vieira – Comunicação CeMEAI

Entender a relação entre os padrões de criminalidade e as características de cada região da cidade de São Paulo é o tema central de uma pesquisa orientada pelo pesquisador Afonso Paiva Neto do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (Cepid-CeMEAI) e que conta com colaboração de Luis Gustavo Nonato em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV). A aluna de doutorado Jaqueline Alvarenga Silveira trabalhou com dados reais fornecidos pelo NEV e que deram suporte para um estudo direcionado à análise específica das atividades criminosas ao redor das escolas.

“O nosso maior objetivo neste trabalho era entender essa relação entre a criminalidade e infraestrutura no entorno dos grupos de escolas analisados para poder ajudar os formuladores de políticas públicas em suas decisões”, diz Jaqueline.

“Desenvolvemos um mecanismo analítico versátil baseado na decomposição de tensor para extrair padrões de várias fontes de dados, permitindo o agrupamento de escolas de acordo com esses padrões. Mais especificamente, reunimos indicadores socioeconômicos, informações sobre infraestrutura urbana e histórico criminal envolvendo mais de seis mil escolas na cidade de São Paulo. O modelo permitiu combinar e extrair os padrões mais representativos para cada grupo de escolas”, explica.

Entre as conclusões obtidas Jaqueline cita o fato de existir uma relação direta entre o aumento do número de ponto de ônibus e bares e o aumento de crimes, especialmente o crime transeunte. “Identificamos, por exemplo, padrões que mostram que existe roubo de carro no período da tarde no entorno de grupos de escolas. Uma explicação para isso se deve justamente por conta do congestionamento de carros gerado na saída das aulas”.

.

Modelo matemático usado no estudo permitiu combinar e extrair padrões mais representativos para cada grupo de escolas analisadas – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.

O orientador de Jaqueline, Afonso Paiva Neto, lembra que outras tantas variáveis podem ser concluídas por intermédio dessa ferramenta, auxiliando nas tomadas de decisões dos gestores públicos. “O trabalho pode auxiliar em políticas de segurança nas escolas que já existem e também no planejamento de novas unidades a serem construídas”, comenta.

Segundo ele, o próximo passo da pesquisa é evoluir para a relação entre violência no entorno das escolas e desempenho dos alunos.

O município de São Carlos, no interior de São Paulo já está sendo beneficiado pela pesquisa. Um convênio foi firmado com a Prefeitura Municipal e irá auxiliar a Secretaria de Segurança Pública a melhorar a segurança nas escolas.

Ouça a entrevista de Luis Gustavo Nonato à Rádio USP:

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.