Interação entre neurônio e outra célula cerebral é relacionada ao autismo

Cientistas descobriram uma relação inédita entre neurônios de quem sofre de autismo e um outro tipo de célula muito comum: os astrócitos

  • 131
  •  
  •  
  •  
  •  

O autismo atinge uma em cada 68 crianças norte-americanas, segundo dados do Centro de Controle para Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. Em geral, ele é diagnosticado nos primeiros três anos de vida e tem causas complexas, que envolvem também a genética.

Entender o autismo desafia os pesquisadores, e um caminho em busca de respostas é o estudo do cérebro. Foi o que fizeram Patricia Beltrão Braga e Fabiele Russo, neurocientistas do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP. A partir de células-tronco retiradas de dentes de leite, as cientistas produziram células cerebrais em laboratório e descobriram uma relação inédita entre neurônios de quem sofre de autismo e um outro tipo de célula muito comum: os astrócitos.

O resultado da pesquisa deu origem ao artigo Modeling the interplay between neurons and astrocytes in autism using human induced pluripotent stem cells, publicado na Biological Psychiatry. O vídeo a seguir conta tudo.

Leia o artigo através este link e assista à série completa sobre a pesquisa no Canal USP.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 131
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados