Livro usa evidências científicas para abordar aspectos diversos da adolescência

Caráter multidisciplinar, com visões distintas de diversos especialistas, favorece a compreensão global desta fase da vida

Livro fala sobre a saúde física, emocional e questões sociais ligadas à adolescência – Foto: Diogo Moreira – Secretaria da Educação/Governo do Estado de São Paulo

.

Foi lançado pela Editora Atheneu o livro Medicina do Adolescente: Fundamentos e Prática. A obra tem por objetivo abordar a adolescência de forma integral, buscando uma prática baseada em evidências, desmitificando a atuação com este grupo nos seus diversos aspectos, quer sejam de saúde física e/ou emocional, questões legais ou sociais.

Embora o livro seja voltado para profissionais de saúde, também pode ser bastante útil para pais e mães com  filhos nessa faixa etária – Foto: Divulgação

Os capítulos abordam os problemas mais comuns da adolescência e questões como uso de drogas, dificuldades escolares, odontologia, prática esportiva, nutrição e alimentação, direitos e deveres, violência, modismos, exercício da sexualidade, direitos sexuais e reprodutivos e programas de intervenção. Seu caráter interdisciplinar e multiprofissional coloca a profundidade do olhar diferenciado dos diversos especialistas, favorecendo uma abordagem unificada para melhorar a assistência, o acompanhamento e a compreensão desse universo.

A edição é de Maria Sylvia de Souza Vitalle, Flávia Calanca da Silva, Aline Maria Luiz Pereira, Rosa Maria Eid Weiler, Sheila Rejane Niskier, Teresa Helena Schoen, especialistas em diferentes áreas da saúde, assim como os demais autores. São 99 colaboradores, 80 capítulos, 12 partes e um total de 648 páginas.

O público leitor é formado por pediatras gerais e especialistas em Medicina do Adolescente, puericultores, médicos de família, psicólogos e outros profissionais de saúde e da área de Humanas que atuam nessa interface com adolescentes.

Formada em Odontologia pela USP e atualmente professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Rosa Maria Eid Weiler diz que, embora o livro seja voltado para profissionais de saúde, também pode ser bastante útil para pais e mães com filhos adolescentes. Na obra, vão encontrar “informações valiosas, pautadas no conhecimento científico, que podem ajudar a família a lidar com os desafios dessa fase complexa de mudanças”, diz.

Quanto à abordagem multidisciplinar, Rosa Maria reforça a importância do aprofundamento em temas relacionados à idade e diz que nem sempre um hebiatra (médico especialista em adolescente) daria conta, sozinho, de lidar com casos que precisariam de investigações mais específicas. Ela cita, como exemplo, problemas de alimentação que, se evoluírem para distúrbios alimentares mais graves (anorexia/bulimia), invariavelmente precisarão de uma abordagem conjunta com um psiquiatra.

“Essa é uma fase em que surgem a curiosidade e os sentimentos pelo corpo e pela vida. Essa curiosidade é propiciada pelo desenvolvimento do grande potencial endócrino e fisiológico, próprio dessa faixa etária, e do desejo contestador pela independência e poder”, destaca Maria Sylvia.

Segundo ela, a família, a escola e a sociedade desempenham um papel fundamental, sobretudo, em situações críticas como gravidez imprevista, violência, consumo de drogas e a visão estereotipada dos problemas do adolescente distante. “Este livro oferece generoso conteúdo para reflexão, aprendizado, aprofundamento sobre o pensar do adolescente. Seu caráter multidisciplinar, com visões distintas de diversos especialistas, favorece muito a compreensão globalizada do que poderíamos denominar fenomenologia psicológica, morfológica, fisiológica e existencial do adolescente, com reflexos sobre o estilo e a qualidade de vida”, finaliza.

O livro está disponível para aquisição no site da editora.

Ivanir Ferreira, com informações da Sociedade Brasileira de Pediatria

Mais informações: reid@uol.com.br, com Rosa Maria Eid Weiler

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •