Estudo avalia saúde cardiovascular de crianças na América do Sul

Para o estudo, pesquisadores desenvolveram uma nova metodologia que considera diferenças de contexto

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Os pesquisadores criaram método que compara diferentes hábitos alimentares – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Um grupo de pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), preocupado com o aumento da obesidade em crianças e adolescentes na América do Sul, decidiu estudar este fenômeno e suas consequências em sete cidades do subcontinente.

Para a investigação e melhor compreensão do crescimento da obesidade infantil, os pesquisadores criaram um novo método que permite acessar fatores como hábitos alimentares e atividade física, e que é passível de ser utilizado nas diferentes regiões e contextos e econômicos. “É como trabalhar com uma régua, temos que usar a mesma régua para as diversas situações”, explica Heráclito Barbosa Carvalho, epidemiologista da FMUSP.

A metodologia é baseada em um questionário, aplicado nas cidades que serão estudadas. Uma avaliação desta padronização, que inclui condição socioeconômica e fatores ambientais como determinantes da saúde cardiovascular nesta população, foi recentemente publicada na revista científica Obesity, da The Obesity Society (sociedade americana de estudos sobre obesidade). O Núcleo de Divulgação Científica da USP traz mais informações nos vídeos abaixo: 

.

.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados