Como o YouTube pode ajudar na alimentação saudável

Sabendo que hoje há muitas informações disponíveis, mas muitas delas erradas, nutricionistas da USP difundem conteúdo com respaldo científico

  • 264
  •  
  •  
  •  
  •  
Ilustração: Divulgação / USParódia via Youtube

Pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP mantêm um canal para produção de conteúdo sobre nutrição para o YouTube. O objetivo é investigar o uso da plataforma no âmbito da alimentação e saúde, e ainda disponibilizar informações importantes sobre o tema para os internautas, de maneira simples e atrativa. Criado em 2013, o canal possui atualmente 30 vídeos, produzidos por estudantes de nutrição, é já teve mais de 200 mil acessos. Os resultados do trabalho são apresentados em artigo da Revista de Nutrição.

O YouTube já se estabeleceu como importante ferramenta de comunicação, entretanto investigações científicas sobre sua aplicação são raras, sobretudo no Brasil. O artigo Vídeos educativos com abordagem nutricional no YouTube traz o impacto dos primeiros vídeos do projeto, ao longo de um período de dois anos. Os pesquisadores não destacam apenas o expressivo número de acessos, cerca de 80 mil somente no intervalo estudado e mais de 200 mil atualmente, mas também a capacidade dos vídeos em reter a atenção do público.

Idealizado como um projeto de extensão universitária, o canal está em atividade desde 2013, com mais de 30 vídeos produzidos. O público não só acessa, como permanece assistindo, permitindo que as mensagens educativas referentes a alimentação sejam transmitidas de forma adequada. Dentre os temas tratados nos vídeos, aqueles sobre as “dietas populares” demonstraram ser de maior interesse do público, com mais acessos e maior tempo de visualização. Entretanto, os mais diversos temas já foram abordados, desde alimentos ultraprocessados até amamentação infantil.

Alcance

“Considerando a vastidão da internet hoje, num primeiro momento esses resultados podem não ser tão animadores, mas quando se considera que se trata do alcance de um conteúdo sobre saúde e ainda produzido com um respaldo científico aprofundado dentro de uma universidade, esses números se mostram promissores”, conta o nutricionista Felipe Daun, doutorando em Nutrição pela FSP, autor do artigo e criador do projeto.

Todos os vídeos são produzidos por estudantes de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública, que enxergam no canal uma oportunidade de desenvolver habilidades que não são usuais da Graduação em Nutrição. Todavia, tais habilidades podem contribuir muito para a carreira profissional, já que a produção dos vídeos envolve todo o processo de tradução da informação científica para uma linguagem acessível para a maior parte da população.

Saber falar sobre alimentação hoje é muito complicado, há muita informação disponível e muita informação errada disponível”, ressalta Daun.

“Então, há aqui uma oportunidade de vivenciar essa experiência em saber lidar com algo que será fundamental para toda a vida do nutricionista”, ressalta o autor.

O desenvolvimento deste trabalho está abrindo portas para maiores investigações das relações entre as plataformas de comunicação na internet e a saúde da população, que prometem elucidar a maneira de falar sobre saúde com as próximas gerações. Os vídeos do projeto, que permanecem em constante produção, podem ser acessados no YouTube.

Adaptado de O YouTube pode ajudar na alimentação saudável?, de Felipe Daun, publicado no site SciElo em Perspectiva

Mais informações: (11) 3016-7882; e-mail imprensafsp@fsp.usp.br

  • 264
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados