Busca por um suposto “corpo perfeito” pode ofuscar preocupação com pandemia

Estudo aponta as mulheres como mais suscetíveis aos estímulos para cuidar da estética corporal, mesmo em tempos de quarentena

jorusp

Uma pandemia como a que o mundo está enfrentando atualmente pode afetar o psicológico da população de diversas formas. Uma das maneiras disso ser constatado é quando as pessoas deixam o lado psicológico se sobrepor a uma preocupação primordial, tal como o coronavírus, para colocar a questão do corpo, o medo de engordar durante o isolamento, em um grau maior de importância. Mas qual é a razão para isto acontecer?

Rodrigo Daniel Sanches, doutor em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, está analisando justamente a resposta para essa questão em seu estudo Dieta e o medo de alterar o formato corporal durante a quarentena e, em entrevista para o Jornal da USP no Ar, comenta que, historicamente, a pressão para o corpo perfeito sempre atingiu mais as mulheres, apesar de também atingir os homens. No isolamento, devido à mudança de rotina, muitas mulheres estão tendo que trabalhar em regime de home office, tendo que cuidar dos filhos e da casa em si e, ao mesmo tempo que isto ocorre, há na internet e na mídia mensagens dizendo que ela precisa cuidar do corpo e que não pode engordar, mesmo que de forma indireta, como acontece quando uma mulher está assistindo a live de uma celebridade com um suposto “corpo perfeito”.

Devido à sua pesquisa de doutorado, Rodrigo Sanches comenta que essas artistas formataram o seu corpo ao longo do tempo, já que elas vivem de sua imagem. Isso faz existir uma narrativa em torno da beleza, causando impacto na vida de mulheres, especialmente em um isolamento em que, muitas vezes, a pessoa só gostaria de estar descansando em um sofá. Estresse do confinamento, questões econômicas e toda uma rotina modificada são motivos para encararmos o aumento de peso durante a quarentena como algo normal, mas, ao mesmo tempo, as mulheres recebem estímulos para que elas busquem o corpo perfeito, mesmo em um período tão complicado.

A análise desse novo estudo, desenvolvido pelo pesquisador, ocorre através da mídia, do universo virtual e de grandes jornais que veiculam essas ideias derivadas do mundo virtual e que abrangem um público maior ainda. “Tem uma celebridade que postou um vídeo dizendo que a prática de exercícios físicos é fundamental, tanto para a saúde do corpo quanto para a mental, e que aquilo não estava atrelado a um padrão de corpo, ao mesmo tempo em que ela estava sendo patrocinada por uma marca esportiva”, cita Sanches, ao explicar como ocorrem as pesquisas do estudo.

Ouça a entrevista na íntegra no player acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP, Faculdade de Medicina e Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.