Documentário aborda estigma social e biologia do HIV, que cresceu na última década

Em meio ao aumento do número de infectados pelo HIV na última década, história da Aids no Brasil é revisitada por nomes como Drauzio Varella, médicos e pesquisadores da área

Estreia no sábado (21), às 13h30 no canal BláBláLogia do YouTube o documentário Nova Explosão do HIV – da biologia à epidemia de preconceito.

A iniciativa foi realizada por dois canais de ciência e tecnologia, o Dispersciência e o Olá, Ciência! Ambos fazem parte da rede Science Vlogs Brasil, selo que atesta qualidade de produções científicas no YouTube e que tem o Canal USP como parceiro. A discussão chega em tempos importantes para o País, visto que o número de infectados aumentou muito nesta década. De graça para todos,

Contaram com a participação de grandes especialistas brasileiros do tema, inclusive o médico Drauzio Varella, conhecido por popularizar a ciência com aparições na grande mídia e por seus livros. A história do vírus se mistura com a vida desses médicos e pesquisadores enquanto a trama é construída.

“Não podemos esquecer a história recente que já trilhamos neste país. A Aids foi responsável por um medo incessante nas famílias. Com muita pesquisa científica e investimento público conseguimos virar exemplo mundial no seu controle”, afirma o diretor da obra Leonardo Carvalheira. Leonardo é biólogo formado pela USP e um dos idealizadores do canal Dispersciência.

Para ele a maior importância deste documentário está nos jovens: “As pessoas mais velhas ainda lembram do que foram as décadas de 1980 e 90. Nossos ídolos morriam por complicações da Aids. Queremos colocar os mais novos em contato com a realidade da síndrome e mostrar a importância da prevenção.”

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •