Por que não vivemos para sempre?

A médica Alicia Kowaltowski, do Instituto de Química da USP (IQ-USP), e o biólogo Carlos Menck, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-USP), esclarecem essa questão a partir do que acontece nos órgãos, nos tecidos e nas células do nosso corpo.

Editorias: Ciências - URL Curta: jornal.usp.br/?p=242473

O que é morrer? Quais fatores limitam o nosso tempo de vida? Por que nós envelhecemos?

A médica Alicia Kowaltowski, do Instituto de Química da USP (IQ-USP), e o biólogo Carlos Menck, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-USP), esclarecem essas questões a partir do que acontece nos órgãos, nos tecidos e nas células do nosso corpo.

Perdas irreparadas

Entre os conceitos tratados estão a perda de células-tronco – responsável pela reposição das células que morrem –  e lesões no DNA, o material genético. Essas lesões, quando não são reparadas, levam a cânceres, à morte de células e a problemas no funcionamento do organismo. Assista aos quatro vídeos do Ciência USP Responde abaixo:

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.