Artigo discute o casamento como imposição social nas obras de Nelson Rodrigues e García Lorca

Artigo da Revista de Estudios Brasileños discute, a partir da análise comparativa de obras dos dois dramaturgos, a situação da mulher diante da imposição social do casamento

 04/11/2021 - Publicado há 1 mês  Atualizado: 05/11/2021 as 17:37

Margareth Artur/Revistas da USP

Um escritor, poeta e dramaturgo pernambucano, Nelson Rodrigues, e um poeta, escritor e dramaturgo espanhol, Federico García Lorca – duas gerações, duas nacionalidades diferentes, que abordam temas retratando questões humanas universais e atemporais em suas peças levadas aos palcos. Nelson Rodrigues é conhecido, se não pelas peças, pelos filmes baseados nas mesmas, tais como A dama do lotação, Os sete gatinhos, O beijo no asfalto, Bonitinha, mas ordinária, Toda nudez será castigada, Vestido de noiva e Álbum de família.

Essas duas últimas são analisadas no artigo Mulheres à beira do casamento: a busca matrimonial malograda em García Lorca e Nelson Rodrigues, publicado na Revista de Estudios Brasileños, e comparadas com as peças A Casa de Bernarda Alba e Doña Rosita, la soltera, de Garcia Lorca, também autor das conhecidas obras Bodas de Sangue e Yerma.

O objetivo do artigo é relatar as análises comparativas entre as citadas obras que giram em torno dos dramas familiares, mais especificamente o casamento e as questões culturais, sociais e psicológicas acopladas nessa instituição polêmica.

Obras citadas no artigo giram em torno dos dramas familiares, mais especificamente o casamento e as questões culturais, sociais e psicológicas acopladas nessa instituição polêmica – Foto: Pixabay

A pesquisadora Monica Gomes da Silva, em seu artigo, enfoca a tragédia como gênero que permeia as peças em questão “como também a relação contextual com o público e as questões artísticas e sociais da modernidade, que os transformaram em autores de vanguarda no teatro da Espanha e do Brasil”. O que está por trás da porta de uma casa, de suas janelas sempre fechadas? O que se esconde e o que se mostra por trás de um álbum de família, de um vestido de noiva, ou, quais são os sonhos e a realidade de Doña Rosita, la soltera, por exemplo? Estamos diante dos simbolismos da “questão feminina”, da repressão, das vozes silenciadas pela sociedade que impõe, por razões culturais e políticas, uma condição constantemente questionada: a obrigatoriedade do casamento para a mulher e a negação das opções da inserção feminina no trabalho remunerado. Nas obras citadas, o artigo mostra as frustrações, as pressões e os resultados catastróficos das atitudes das personagens.

O artigo discute os fatores circundantes do tema casamento, o que está por trás dos desejos expressos ou ocultos das mulheres, despertados por uma sociedade que atribui à mulher o papel de “rainha do lar”, alijada do mercado de trabalho, pressionada por anos e séculos de autoritarismo machista e tradições culturais que marginalizam o sexo feminino, impondo uma dignidade conquistada pelo casamento, sem respeito às escolhas femininas de casar ou não, fato bem nítido nas peças destacadas, em que “as mulheres solteiras são submetidas a um ambiente social limitado e repressor”.

Nelson Rodrigues e Garcia Lorca desvendam o universo complexo entre famílias, relacionamentos humanos, apontando tensões entre homens e mulheres e pondo em cena “os ambientes domésticos asfixiantes que se entremeiam às trajetórias funestas dos personagens”.

+ Mais

“Vestido de Noiva”, de Nelson Rodrigues, ganha leitura dramática

O artigo mostra não só as personagens femininas como vítimas, mas também como “cúmplices de sua própria destruição ou como algozes de outras mulheres”. As personagens das peças comparadas se perdem entre os anseios de afirmação e a transgressão face aos ambientes opressivos. Em relação ao tema da tragédia, o artigo contempla pareceres e estudos de diversos críticos de teatro e artes, esclarecendo a questão das “impossibilidades” humanas, das escolhas, dos destinos trágicos e da aceitação das personagens de papéis sociais que contradizem seus autênticos desejos, o que gera a autodestruição e aos desfechos trágicos fatais.

Enfatiza-se também as questões sociais, políticas e artísticas da modernidade, apresentadas tanto em Rodrigues quanto em Lorca que influíram e repercutiram no público, fato esse “que os transformaram em autores de vanguarda no teatro da Espanha e do Brasil. Essência, aparência e transcendência se correlacionam para representar a tragédia de suas protagonistas”.

Finalizando, constata-se, em García Lorca e Nelson Rodrigues, o fracasso do casamento, instituição fadada à infelicidade e aos destinos malsucedidos que arrastam as personagens para a morte e a solidão implacáveis devido à impossibilidade de realizar e concretizar ideais barrados socialmente. Porém, apesar de tudo, a desgraça e a tragédia conduzem a um significado de transcendência, na medida em que “ainda subsiste, diante da opressão, a afirmação de valores, como dignidade pessoal e a busca pela liberdade”.

Artigo

SILVA, M. G. da. Mulheres à beira do casamento: a busca matrimonial malograda em García Lorca e Nelson Rodrigues. Revista de Estudios Brasileños, v. 7, n. 15, p. 19-33, 2021. DOI: https://doi.org/10.14201/reb20207151933. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/reb/article/view/189522. Acesso em: 14 set. 20121.

Contato

Monica Gomes da Silva
– Professora adjunta de Literatura Brasileira na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal Fluminense (UFF).
mgs@ufrb.edu.br


Revistas da USP
A seção Revistas da USP é uma parceria entre o Jornal da USP e a Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (Águia) que apresenta artigos de autores de diversas instituições publicados nos periódicos do Portal de Revistas USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.