Professores do ensino fundamental exercitam práticas pedagógicas utilizando obra de Pablo Neruda

Curso sobre alfabetização e letramento foi oferecido pela USP em Ribeirão Preto a professores de ensino fundamental

Satisfeita por ter sido apresentada a novos textos e autores e pela oportunidade de discutir as principais dificuldades do dia a dia em sala de aula, a professora Mara Eliane Pivaro Mastro participa amanhã, dia 22 de julho, às 18 horas, do encerramento, agora on-line, do curso Alfabetização e Letramento: teorias, práticas, proposições.

Mara e outros 34 professores do ensino fundamental, da rede pública municipal de Ribeirão Preto, passaram mais de um ano em encontros presenciais e, depois de março, virtuais, buscando a melhor forma de alfabetizar. A atividade foi organizada pelo Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização, Leitura e Letramento, o Gepalle, coordenado pela professora Elaine Assolini, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, e dirigida a professores alfabetizadores da Secretaria Municipal de Educação.

A depender da disposição da professora Mara e seus colegas, a equipe da USP já pode preparar nova edição do curso, usando a mesma receita de novos textos e autores, além de palestras com profissionais de outras áreas, para discutir alfabetização.

Práticas pedagógicas na alfabetização

O curso ofereceu aos participantes subsídios para discutirem conceitos, definições e práticas pedagógicas, relacionadas à alfabetização, ao letramento, à leitura, à escrita, à interpretação, à autoria e ao letramento digital. “As práticas pedagógicas escolares desenvolvidas pelos professores em salas de aula, no ensino fundamental, estudos de casos e situações pedagógicas exemplares também foram objetos de estudo e de discussão”, conta a professora Elaine.

A professora cita a atividade que incentivou os professores a trabalharem em sala de aula, diversas abordagens, como as metáforas, por exemplo, a partir da leitura e da interpretação da obra O Carteiro e o Poeta, de Pablo Neruda. O livro narra a aventura de um carteiro, um filho de pescador humilde, Mario Ruoppolo, que passa a ser amigo do poeta Pablo Neruda. A amizade vai transformando a vida de Mario, quase um analfabeto. Aos poucos e com a finalidade de conquistar sua amada, Mario vai aprendendo que ele também pode ser um poeta, começando por escutar alguns dos inúmeros das palavras. “Mario torna-se o filho que o poeta Pablo Neruda nunca teve”, conta Elaine.

Nesse processo, os pesquisadores do Gepalle tiveram participação especial na realização de estudos avaliativos, com indicativos a respeito da alfabetização dos alunos da rede municipal e, também, das demandas dos professores, em relação a conteúdos e práticas pedagógicas. “Cada um dos 11 encontros, assim como a aula inaugural e a aula de fechamento, foram preparados meticulosamente, considerando os professores e os estudantes pelos quais eram responsáveis. Assim, trabalhamos com diferentes textos, que foram objeto de discussão e análise, realizamos atividades individuais, em dupla ou em grupo, trabalhamos com vídeos de curta duração, fragmentos de filmes, análise de situações-problema, e de atividades, com oportunidades para os professores partilharem seus saberes e experiências, problematizarem suas próprias práticas pedagógicas, analisarem os seus feitos educacionais e didático-pedagógicos e refletirem sobre a escola e o contexto escolar”, finaliza Elaine.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.