Vírus do HIV pode ser passado de mãe para filho

Relação sexual desprotegida e contato com seringas ou objetos cortantes contaminados são alguns dos principais transmissores

  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  

A primeira edição do boletim Pílula Farmacêutica desta semana fala sobre o Vírus da Imunodeficiência Humana, o HIV, agente causador da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, a Aids.

Os especialistas advertem que quando a carga viral do HIV está alta no organismo, consequentemente a defesa do corpo está enfraquecida e com ela surgem as doenças oportunistas. “Para a transmissão do HIV é necessário que a secreção ou sangue contaminado de uma pessoa entre no organismo de outra, o que geralmente acontece durante uma relação sexual, compartilhamento de seringas e acidentes com agulhas ou objetos cortantes contaminados.”

Existe também a possibilidade da transmissão durante a transfusão de sangue, se estiver contaminado, durante a gestação, de mãe para filho, ainda no trabalho de parto ou até mesmo durante a amamentação.

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana. Ouça, no link acima, a íntegra do boletim.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 16
  •  
  •  
  •  
  •