Violência das ruas se repete em discurso de ódio na internet

Professora explica que, em período eleitoral, os comentários violentos ganham maior visibilidade pela mídia

  • 29
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

O discurso de ódio invade as redes sociais. Pessoas realizam sistematicamente, através dessas mídias, um conjunto de comentários racistas e misóginos. Eles hostilizam indivíduos, comunidades ou entidades específicas através de assédio virtual. Zilda Márcia Grícoli Iokoi, professora do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e participante do Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos (Diversitas), explicou ao Jornal da USP no Ar que as manifestações de ódio na internet são um reflexo da sociedade.

A especialista esclarece que o comportamento agressivo on-line é resultado das interações cotidianas, em que minorias – LGBTs, pobres, negros, mulheres – sofrem com o preconceito e violência da classe dominante, comportamento construído através da história desde a escravidão e o tratamento desumano dos negros, por exemplo. A professora diz que esses discursos estão sempre presentes e que durante as eleições, período de disputas afloradas, há a maior midiatização de manifestações de ódio.

Arte: jornal.usp.br

Zilda comenta que a desigualdade no Brasil cresce violentamente ao longo do tempo: “Ela é fruto de um fracasso da nossa sociedade”. Afirma que não houve uma transformação social efetiva, já que pessoas continuam a viver nas ruas em péssimas condições e são invisibilizadas.

O Diversitas (Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos), grupo da FFLCH, faz a sua parte. Segundo Zilda, atualmente o Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades se deslocou para o centro da Cracolândia, onde discute com as pessoas que vivem em extrema violência sobre suas condições e problemas, a fim de construir um elo de relacionamento e solidariedade, além de entender os motivos que levaram essa população a se fixar nesse local.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 29
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados