Vegetação não consegue se adaptar a mudanças climáticas drásticas

Principais consequências dessas alterações aparecem na produção da área agrícola

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Ambiente É o Meio desta semana entrevista Carlos Alberto Martinez y Huaman, graduado em Agronomia e mestre em Produção Agrícola pela Universidad Nacional Agraria La Molina (Unalm), em Lima, Peru, doutor em Fisiologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa e atualmente professor associado do Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

Para Huaman existe uma relação direta entre os fatores climáticos e a agricultura no espaço rural. As florestas e, principalmente, as plantações, dependem de variações atmosféricas equilibradas, ou seja, quantidade exata de chuvas, temperatura adequada, entre outros fatores que interferem na produção.

A temperatura, diz, é um fator vital para todos os seres vivos, o que inclui não só os vegetais, mas também os seres humanos. “As mudanças climáticas que estão acontecendo significam alterações nos padrões climáticos, ou seja, não existe mais um equilíbrio”, conta Huaman.

O professor explica ainda que a concentração de CO2 aumenta a cada ano e se a vegetação conseguir responder a toda essa concentração seria muito bom para o meio ambiente, mas se faltar água e nutrientes será impossível essa resposta.

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

Ouça acima na íntegra o programa Ambiente é o Meio.

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados