Vacinação contra gripe é muito importante no momento

Marta Lopes explica que a vacinação contra o vírus influenza evita que o organismo se debilite, facilitando a entrada de outra infecção por via respiratória

Começou no dia 16 de abril a segunda etapa de vacinação contra a gripe. O Ministério da Saúde informou que, até segunda (13), quase 19 milhões de idosos já haviam sido vacinados contra o vírus influenza na primeira etapa da campanha. Marta Heloísa Lopes, professora do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina (FM) da USP e coordenadora do Centro de Imunizações do Hospital das Clínicas (HC), explica que sempre foi importante se vacinar contra o vírus influenza. “Neste momento é mais importante ainda, porque temos um outro vírus, o sars-cov-2, que causa uma síndrome respiratória grave, que pode levar ao óbito”, esclarece a doutora ao Jornal da USP no Ar.  

Os sintomas iniciais da gripe e da covid-19 podem ser semelhantes. Febre, mal-estar, dor pelo corpo, coriza e tosse seca são comuns a essas duas doenças. Mas a evolução pode ser bastante diferente. “O sars-cov-2, o novo coronavírus, evolui mais comumente para uma pneumonia, um quadro mais grave. Já o vírus influenza causa um comprometimento que chamamos de pneumonite, e normalmente é mais branda, mas pode evoluir para casos mais graves”, aponta Marta Lopes. A evolução é distinta, apesar de os sintomas iniciais serem semelhantes, já que a covid-19 causa falta de ar. 

A segunda etapa da vacinação se destina a portadores de doenças crônicas, condição de vulnerabilidade para quadro mais grave de covid-19, além de funcionários do sistema prisional, indígenas, caminhoneiros e aqueles que trabalham em transporte coletivo. A médica explica que a vacinação contra o vírus influenza evita que as pessoas adquiram uma condição debilitada que possa facilitar a aquisição de outra infecção por vírus respiratório, como a covid-19. Marta completa, aconselhando que se fique em casa. “O isolamento social é a melhor medida, mas não deixem de se vacinar também”, finaliza.   

Ouça a íntegra da entrevista. 


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.