Usuário de aplicativo amoroso apresenta perfil psicológico normal

Para corroborar essa informação, o médico ginecologista Alexandre Faisal cita uma pesquisa realizada na Áustria

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Não é novidade que está se tornando bastante comum o uso de aplicativos para agendamento de encontros amorosos. Em sua coluna semanal para a Rádio USP, o médico e ginecologista Alexandre Faisal admite ser esse um assunto interessante do ponto de vista psicológico. Ele vai além e cita uma pesquisa sobre o tema realizada na Áustria. O estudo procurou saber, entre outros aspectos,  se há alguma particularidade psicológica a caracterizar  pessoas que se utilizam do celular ou da internet para agendar encontros amorosos.

Para surpresa de muita gente, o resultado mostrou que não há nenhum fator específico que diferencie essas pessoas das demais, ou seja, daquelas que não fazem uso do serviço. O estudo também indicou que os homens são mais propensos a utilizar esse tipo de  aplicativo, quando comparados  às mulheres.

Para Faisal, estudos como esse são interessantes na medida em que encorajam novas pesquisas nessa área.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados