Uso de robôs domésticos deve se tornar cada vez mais comum no nosso cotidiano

Oswaldo Horikawa comenta os robôs, que já fazem parte do nosso dia a dia ou devem passar a fazer em breve

 Publicado: 18/11/2021
Os novos robôs conseguem executar tarefas em hospitais ou clínicas de reabilitação ou mesmo auxiliar em cirurgias – Arte de kjpargeter/Freepik 

A presença de robôs no cotidiano das pessoas é cada vez mais comum e abundante. Se antes essas tecnologias eram habitantes exclusivas da imaginação, hoje já contamos com elas para facilitar várias tarefas.

Oswaldo Horikawa, professor do Departamento de Engenharia Mecatrônica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, falou ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição dos robôs domésticos e sobre como essas máquinas podem colaborar conosco. Segundo o professor, presenciamos o avanço da potência de sensores, maiores capacidades de mobilidade autônoma e inteligências artificiais mais complexas. É comum que barreiras tecnológicas que parecem intransponíveis sejam superadas em pouco tempo, possibilitando uma velocidade surpreendente de evolução das tecnologias.

Horikawa comenta alguns dos robôs muito úteis que têm ganhado popularidade. Algumas máquinas de lavar roupa mais modernas, por exemplo, já são capazes de regular as quantidades de água e sabão, além do tempo de lavagem, automaticamente, otimizando o consumo de recursos. Outro exemplo famoso é o dos aspiradores de pó robôs, que conseguem percorrer ambientes com autonomia e perceber os lugares que demandam uma limpeza mais dedicada.

Para o professor, diversas possibilidades surgem “conforme o computador vai ficando cada vez mais compacto, cada vez mais poderoso e com o aparecimento de inúmeros tipos de sensores cada vez mais versáteis, que são capazes de detectar qualquer alteração no ambiente”. Os novos robôs conseguem executar tarefas em hospitais ou clínicas de reabilitação ou mesmo auxiliar em cirurgias.

Horikawa também comenta o surgimento de assistentes virtuais voltados para a atenção e o cuidado de idosos, que conseguem monitorar o consumo de remédios, notificar alguém caso os idosos sofram quedas, entre outras funções. Nas palavras do especialista, são capazes de fornecer “uma assistência completa ao idoso no lar”.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.