Uso da política no esporte é reflexo da extrema-direita

Alberto do Amaral atribui manifestações racistas e até políticas nos estádios ao crescimento da extrema-direita na Europa

O uso político do esporte não é algo novo, mas, nos últimos tempos, o que se vê são as trocas de farpas entre jogadores e até entre torcidas. Recentemente, um jogo entre França e Turquia mostrou jogadores turcos, com manifestações explícitas, apoiando o governo na repressão aos curdos. Em outro jogo, entre as seleções inglesa e búlgara, o que se viu foram xingamentos de racistas e neonazistas nas arquibancadas. O que é mais preocupante é que isso tem se repetido nas partidas de futebol na Europa, reflexo do crescimento da extrema-direita no continente.

De acordo com o professor Alberto do Amaral, o esporte tem se tornado um meio de expressão e de exclusão de grupos. “O que se espera é que o esporte seja apenas uma competição onde se mostrem as qualidades físicas, saudáveis e de união entre povos, sempre com o espírito esportivo e não político”, ressalta.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Um Olhar sobre o Mundo.


Um Olhar sobre o Mundo
A coluna Um Olhar sobre o Mundo, com o professor Alberto Amaral, vai ao ar toda segunda-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •