Uma tecnologia que pode revolucionar a ciência do esporte: IoT

A tecnologia avançada pode ser usada por atletas para ver condições físicas em tempo real e prever lesões

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna Ciência e Esporte desta semana, o professor Paulo Roberto Santiago fala sobre a Internet das Coisas, mais conhecida como IoT (Internet of Things), nos esportes.

IoT é uma tecnologia com recursos digitais exclusivos, como aplicativos ou dispositivos que não funcionam isoladamente, promovendo uma conexão entre objetos do cotidiano, como roupas, óculos e pulseiras.

Segundo um estudo feito pela empresa internacional Vodafone, nos últimos seis anos, a Internet das Coisas cresceu  241% e se tornou uma possibilidade de mudança para a indústria em geral e até mesmo para o esporte.

O professor explica que já é possível encontrar muitas pesquisas que utilizam dispositivos vestíveis ou aparelhos conectados em bancos de dados, que fornecem informações sobre as condições do atleta em tempo real.  

Santiago ainda diz que a Internet das Coisas pode ser usada para minimizar e até prever lesões nos atletas. Com apenas testes básicos, como o de agachamento, mudanças de direção e fadiga, em conjunto com as informações da IoT, fornecem indicativos para que, se necessário, seja feito o afastamento do atleta. Ouça acima na íntegra a coluna Ciência e Esporte.

 

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •