Um em cada quatro mil recém-nascidos pode apresentar intersexualidade

A intersexualidade é um grupo de casos com alterações médicas ou biológicas que dificultam a identificação clássica do sexo masculino ou feminino

 08/10/2019 - Publicado há 2 anos  Atualizado: 10/10/2019 as 11:16
Por

Nesta edição do programa Saúde sem Complicações, o tema é Intersexualidade, com Ester Silveira Ramos, do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e especialista em genética clínica.

A professora explica que a intersexualidade engloba casos em que os indivíduos possuem alterações médicas ou biológicas que causam problemas na identificação clássica do sexo masculino ou feminino. De acordo com Ester, dados estimam que aproximadamente uma em cada 4 mil crianças nascidas por ano pode apresentar essa condição. 

“São doenças de alta complexidade” e geralmente, segundo a professora, o paciente precisa ser atendido por uma equipe multidisciplinar que auxilia todo o processo de tomada de decisão e desfecho do caso. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.