Treinar em excesso pode levar a complicações severas

Estudo sobre atividades físicas em demasia traz informações sobre como o atleta pode se prejudicar fisicamente

 

Nesta semana, o professor Paulo Roberto Santiago, na coluna Ciência e Esporte, traz informações sobre como atletas que treinam em excesso podem se prejudicar devido ao demasiado esforço em seus treinos. Com isso, acabam por ter um desempenho menor do que o desejado, além de possivelmente obterem adaptações negativas em alguns de seus órgãos vitais.

Coração e fígado podem ser os principais órgãos afetados pela forte atividade física, trazendo grandes complicações e até mesmo levando o atleta ao óbito em alguns casos.

A história conta a façanha do corredor Fidípides, que, no intervalo de dois dias, correu mais de 200 quilômetros. E, durante a Batalha de Maratona, percorreu mais 40 quilômetros, aproximadamente, para anunciar ao seu povo a vitória na guerra. Porém, logo depois de informar sobre o êxito, veio a óbito, provavelmente, segundo Santiago, por um problema cardíaco, devido ao grande esforço físico em poucos dias e sem o devido descanso. 

Também existem casos de jogadores de futebol e de corredores de rua que faleceram devido ao excesso de esforço físico.

 O professor Santiago ressalta ainda que, segundo o estudo em que se baseia, há a indicação para que, após uma atividade física extenuante, deva existir uma pausa entre 24 e 48 horas para a recuperação da parte física do atleta.

Ouça acima a íntegra da coluna Ciência e Esporte.


Ciência e Esporte
A coluna Ciência e Esporte, com o professor Paulo Santiago, vai ao ar toda sexta-feira às 10h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •