Tratamentos de doenças afetivas têm alto potencial de sucesso

Pesquisadores do Hospital das Clínicas da USP estudam os melhores métodos de combate a distúrbios de humor

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail

A depressão, entre outros distúrbios afetivos, é uma doença de muitas matizes e a busca pelo melhor tratamento não é simples. Fatores genéticos e circunstanciais do paciente precisam ser levados em consideração. Ricardo Alberto Moreno, professor do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP e fundador do Grupo de Estudos de Doenças Afetivas (Gruda), explica que um dos fatores que dificultam encontrar o tratamento adequado é que existem por volta de 20 tipos diferentes de antidepressivos e a escolha de qual, ou quais, deve ser utilizado depende do quadro do paciente.

O dr. Moreno ressalta a importância de se diagnosticar corretamente o quadro psiquiátrico do paciente – Foto: Flickr-CC

A respeito do auxílio da genética na luta contra a depressão, o dr. Moreno comenta que são poucos os casos em que traçar o perfil metabólico é necessário. O professor destaca que o potencial de contingenciamento dos tratamentos tradicionais é alto, e que em casos mais resistentes, há outros métodos, como a eletroconvulsoterapia (eletrochoque), a simulação magnética transcraniana e a implantação de eletrodos, que podem auxiliar. O especialista ressalta também a importância de se diagnosticar corretamente o quadro psiquiátrico, exemplificando que o tratamento para a depressão é totalmente diferente do tratamento para transtornos de bipolaridade. Para saber mais informações sobre o Gruda e participar de suas pesquisas o dr. Moreno indica o site www.progruda.com.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail

Textos relacionados