Transplante cardíaco em crianças apresenta avanços e obstáculos

Médico do InCor relata os desdobramentos da especialidade pediátrica nas últimas duas décadas

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Há 25 anos, aconteceu o primeiro transplante cardíaco realizado em um recém-nascido no Instituto do Coração (InCor), vinculado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. A partir de então, a equipe médica da instituição tem construído uma história de trabalho dedicada à melhoria dos instrumentos, processos e medicamentos aplicados no processo cirúrgico.

O diretor do Serviço de Cirurgia Vascular infantil do InCor, Marcelo Jatene, narra o desenvolvimento da especialidade no InCor e sublinha que as famílias ainda têm resistência no que diz respeito à doação de órgãos entre crianças.

Além disso, Jatene afirma que o Brasil ainda encara obstáculos na realização de transplantes pediátricos. Nesse sentido, ele explica a falta de financiamento do governo em aparelhos, hoje custeados por outras iniciativas, e a difícil logística do transporte de órgãos em um país continental como o Brasil.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados