Tragédia do Rio Doce é tema de reportagem no jornal francês “Le Monde”

Colunista destaca série de reportagens do periódico, que inclui o Rio Doce entre os “casos irreversíveis” de degradação ambiental

José Eli da Veiga destaca em sua coluna Sustentáculos uma série de reportagens do jornal francês Le Monde sobre áreas no mundo em que a degradação ambiental chegou a casos irreversíveis, citando os EUA, Russia e China, e também o caso do Rio Doce, no Brasil. “Não me consta que seja completamente irreversível”, considera o colunista.

A publicação da série de reportagens acontece em meio a uma semana muito movimentada no que diz respeito ao tema sustentabilidade, principalmente na França, onde o colunista destaca a saída do ministro do Meio Ambiente francês, Nicolas Hulot, que ocupou o cargo por 15 meses. Instalou-se, naquele país, uma discussão nos jornais de como conduzir nacionalmente a ideia da sustentabilidade.

Eli da Veiga também destaca um estudo publicado pela ONG francesa Futuras Gerações sobre os desreguladores endócrinos. “A questão central é que eles procuram demonstrar que, no caso dos desreguladores, o que interessa mesmo  é o tempo em que a pessoa ficará exposta aos desreguladores”, diz o colunista, ressaltando que o estudo ainda acrescenta na lista dos mais sensíveis aos desreguladores, “além das mulheres grávidas, fetos e bebês, os adolescentes e idosos”.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Sustentáculos.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 20
  •  
  •  
  •  
  •