Tráfico de mulheres começa a ser combatido no Brasil

Enfrentamento esbarra em questões como pouca informação sobre número de vítimas

O tráfico de mulheres é uma realidade pouco conhecida. Não existem estatísticas que informem quantas mulheres e meninas são vítimas do tráfico no Brasil e nem mesmo no mundo. O que se sabe é que a maioria delas é enganada com promessas de vida melhor e, quando percebem, estão escravas de trabalho e, principalmente, escravas sexuais.   

O assunto começa a ser discutido por organismos da sociedade e as políticas públicas começaram a ser implementadas em 2011, como explica a professora Fabiana Severi, da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP, especialista em Direitos Humanos e Direito Constitucional.

As políticas públicas criadas para combater e prevenir o tráfico de mulheres, segundo a professora, esbarram em dificuldades como a falta de informações e, nisso, a imprensa tem papel fundamental.

Ouça a entrevista no link acima.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.