Tossir, mastigar e engolir são fatores que levam à disfagia

Até o ano de 2030 cerca de 500 milhões de pessoas no mundo terão algum grau de dificuldade para engolir, diz especialista

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Disfagia? o nome é estranho, mas o problema é mais comum do que você imagina esse é o tema do dia Nacional da Atenção à Disfagia. Realizado no 20 de março, a data foi criada com o objetivo de auxiliar a população a reconhecer os sintomas, alertar sobre o risco para a saúde, divulgar medidas de prevenção e orientar sobre o que fazer diante da suspeita de disfagia.

A doença é caracterizada pela dificuldade de engolir, deglutir, alimentos ou líquidos. A professora Lilian Ricz, coordenadora do Laboratório de Investigação de Voz e da Fala, do Curso de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina  de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, explica que “entre suas principais características estão: tosse frequente durante ou após comer e beber; engasgos; sensação de alimento parado na garganta; dificuldade ou lentidão durante a alimentação, entre outros”.

A professora alerta o ato de não conseguir mastigar direito, ou até mesmo de não perceber que está engolindo o alimento é perigoso “se este alimento vai parar no pulmão, ou o líquido que ingere incorretamente, pode até mesmo acabar gerando uma pneumonia. Se você estiver com problemas para engolir procure um especialista, neste caso um fonoaudiólogo ou um nutricionista”.

Ouça a entrevista no link acima.

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados