Tiros contra a caravana de Lula são tiros contra a democracia

A avaliação é do cientista político André Singer, que volta a abordar, em sua coluna, o tema da violência política

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sob pretexto do ataque à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, atingida por tiros, na última terça-feira (27), o cientista político André Singer volta a manifestar apreensão em relação a um assunto que considera extremamente grave: a violência política. “Na realidade, esses tiros não são apenas contra a caravana do ex-presidente Lula, são tiros contra a democracia”, afirma ele ao observar que a passagem da caravana do petista pelo sul do País já vinha sendo objeto de agressões violentas.

Na opinião do colunista, Lula tem direito de fazer campanha política, apesar dos processos que responde na Justiça. Nesse sentido, está atuando dentro da lei e sem apelar para manifestações antidemocráticas ou incitamento à violência. Já a atuação das instituições tem deixado a desejar. Para Singer, as reações das autoridades e de outras forças políticas “são muito tíbias, muito mornas ao que está ocorrendo”. As instituições parecem não estar dando conta da tarefa de colocar um fim à violência política no País, violência que já deixou pelo caminho a vereadora carioca Marielle Franco.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados