Tipo de vírus diferente é responsável pelo aumento nos casos de dengue

O professor Expedito Luna explicou as principais causas da nova epidemia e como prevenir a proliferação da doença

O número de casos de dengue no País cresceu 264% em 2019, de acordo com o Ministério da Saúde. Os óbitos pela doença também aumentaram 67%, entre 30 de dezembro e 16 de março de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018. A maior concentração ocorre no Estado de São Paulo, onde houve mais de 30 mortes pela doença.

Ilustração do corte transversal do vírus zika – núcleo em amarelo – Foto: Wikimedia Commons

Para o professor Expedito Luna, do Instituto de Medicina Tropical da USP, o aumento está intrinsecamente relacionado com o fato de existirem quatro tipos de vírus da dengue, o que gera a possibilidade de uma mesma pessoa contrair a doença quatro vezes. “Em 2015 e 2016, havia a predominância do Tipo 1, e agora a gente tem um aumento pelo Tipo 2, que não circulava na região Sudeste há mais de dez anos”, explicou o professor.

Expedito também ressaltou a importância da cooperação de toda a sociedade para evitar os focos de proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Também relembrou que tais medidas devem ser tomadas antes da epidemia acontecer, pois nesta época já passou o período de reprodução do mosquito.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.