Teoria do caos se aplica ao esporte

Teoria aplicada ao esporte se explica, por exemplo, na comparação entre a eficiência de atletas amputados e não amputados

  • 12
  •  
  •  
  •  
  •  

Esta semana, na coluna Ciência e Esporte, o professor Paulo Roberto Santiago relaciona ao esporte uma teoria popular na física, a do caos. O professor lembra que a teoria do caos trata de “sistemas complexos e dinâmicos, mas que, em algum momento, vão apresentar uma instabilidade, e com ela perturbar o sistema, fazendo com que ele se torne não previsível ao longo do tempo”.

Santiago conta que já existem diversos autores que estudaram a aplicação dessa teoria. Como exemplo, o professor cita o trabalho do pesquisador Nicole Look, publicado recentemente no periódico Chaos an Interdisciplinary of Nonlinear Science. Look estudou o efeito da estabilidade dinâmica de corredores, em especial as diferentes velocidades de pessoas com amputação. “O pesquisador verificou que pessoas não amputadas apresentam movimentos mais cíclicos e menos perturbados do que a pessoa que sofreu alguma amputação e que usa alguma prótese.”

Outro trabalho citado por Santiago é a revisão sistemática, recém-publicada no Gait & Posture. Os resultados mostraram a influência da aplicação da teoria do expoente máximo do Lyapunov, na marcha de jovens e de idosos. A teoria fala de um sistema dinâmico.

O professor sugere aos estudiosos que “utilizem cada vez mais elementos que são de análise do sistema dinâmico dessa parte da teoria do caos, esta é uma boa saída para tentar investigar o movimento humano”.

Ouça na integra a coluna Ciência e Esporte.

  • 12
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados