Tecnologia pode alterar o futuro da carreira médica

Professor alerta que, mesmo com o avanço tecnológico, médicos comprometidos com a profissão dificilmente terão as atividades substituídas

Na coluna Fique de Olho desta semana, o professor Eduardo Rocha faz uma reflexão sobre o futuro da carreira médica que, segundo ele, pode ter grandes alterações no perfil do profissional e de atuação com os pacientes.

Rocha aponta que, entre os desafios discutidos, estão: as dificuldades de levar a medicina para a demanda da população, mesmo com o número de médicos recém-formados, e o avanço da tecnologia, que permite que a inteligência artificial estabeleça condutas, além da  telemedicina.

O contato dos médicos com os pacientes, a explicação dos problemas e o acúmulo de experiência adquirida pelo profissional ao longo do tempo podem diminuir num futuro próximo, mas, segundo o professor, não são mudanças pessimistas.  

Rocha acredita que médicos com qualidades diferenciadas e comprometidos com a profissão dificilmente terão a atividade substituída por ferramentas tecnológicas: “A medicina, mesmo com uma série de avanços, continua sendo uma mistura de ciência, arte e dedicação ao bem-estar do paciente”, afirma.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Fique de Olho.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.