Taxas de morte no trabalho são reduzidas no mundo

Mudanças nas leis trabalhistas endurecem os direitos dos trabalhadores perante o patrão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna Reflexão Econômica desta semana, o professor Luciano Nakashi comenta sobre o artigo que revela a diminuição das mortes no trabalho ao redor do mundo. De acordo com o professor, o endurecimento das leis trabalhistas é um dos principais responsáveis pela diminuição dos índices. “As leis mais rígidas são importantes para entender essa diminuição. As decisões estão baseadas em preservar o trabalhador.”

O colunista também destaca que o artigo traz números interessantes, já que nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, eles foram fortemente reduzidos. “O artigo traz dados interessantes, já que a média de mortes em 1998 era de aproximadamente 16,4 a cada 100 mil trabalhadores, enquanto em 2011 o índice caiu para 11.”  

Nakabashi também comenta que atualmente as relações no trabalho são mais complexas, mesmo com o ser humano mais egoísta. “As pessoas acabam se preocupando mais com o próximo.” Por outro lado, a preocupação do patrão com seus funcionários também é um ponto positivo. “Quando existe uma boa relação e valorização do empregado, aumenta a produtividade do trabalho.”

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados