Surdos devem ser vistos como minoria linguístico-cultural

Aluna defende mestrado através de apoio de convênio com a Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A primeira aluna surda do campus de Ribeirão Preto da USP, Natália Francisca Frazão, defendeu seu mestrado em Educação em Libras, a língua brasileira de sinais. A pesquisa abordou a história da Associação de Surdos de São Paulo, fundada em 1954.

Segundo a orientadora do estudo e professora da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Ana Claudia Lodi, é necessário romper com a ideia de que o surdo é um deficiente. Ela considera que o surdo é uma minoria linguístico-cultural no País que, apesar de ter conquistado alguns direitos por lei, nem sempre recebe o tratamento adequado.

A professora explica que a pesquisa foi realizada com um convênio da faculdade com a Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos (Feneis).

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados