Superávit da balança comercial brasileira deve ser visto com reservas

É que, mais uma vez, o bom resultado deve ser creditado ao setor agropecuário, diz o professor Glauco Arbix

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério da Indústria e Comércio divulgou os dados da balança comercial brasileira relativos ao primeiro trimestre do ano. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o Brasil registrou superávit de U$ 14 bilhões, um resultado positivo, portanto. Porém, quando se olha para ele mais de perto, nota-se que as importações tiveram um crescimento muito grande. Ou seja, o superávit, mais uma vez, é devido aos setores agropecuário e mineral.

O professor Glauco Arbix observa que a área de tecnologia, principalmente a de maior intensidade, apresentou um déficit de U$ 5 bilhões, apenas nos três primeiros meses de 2018. Setores como o eletroeletrônico e o farmacêutico aumentaram fortemente os seus déficits, importando muito mais do que exportando. E o déficit é ainda maior nos segmentos de baixa intensidade tecnológica. Arbix acredita que a economia e o comércio internacional devem continuar a apresentar crescimento, mas lembra, por outro lado, que o Brasil está em um ano eleitoral, o que significa dizer que estamos sob o signo do incerto e do imprevisível em relação ao cenário econômico.

.

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados