Subsídios a combustíveis fósseis causam prejuízo econômico na saúde

O professor Paulo Saldiva apontou as principais consequências da atual matriz energética global, tanto para a economia quanto para as relacionadas ao corpo humano

Um artigo divulgado recentemente pela Vital Strategies e pela NCD Alliance mostrou uma preocupante relação entre os gastos com subsídios a combustíveis fósseis e os custos médicos para lidar com seus impactos na saúde. Anualmente, são gastos US$ 300 bilhões em subsídios, que geram US$ 2,7 trilhões de despesas na área da saúde. Nos países de baixa e média renda, os custos dos subsídios chegam a ser cinco vezes maiores do que o investimento total em saúde dos governos.

O professor Paulo Saldiva, da Faculdade de Medicina da USP, explicou como funciona essa conta e ressaltou a ideia de economia ambiental, sub-ramo da economia que procura alocar os recursos naturais de forma mais eficiente. 

Saldiva apontou como os poluentes liberados pelos combustíveis fósseis afetam nosso corpo e quais as principais consequências da inalação dessas substâncias para a saúde. O professor também disse acreditar que questões culturais e econômicas são os maiores empecilhos para a implementação de uma matriz energética mais limpa e sustentável.

Confira acima a matéria completa.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.