Startups criadas por mulheres são as que mais rendem

É o que aponta estudo realizado nos Estados Unidos, comentado aqui pelo professor Glauco Arbix

 

Em sua coluna de hoje, o professor Glauco Arbix comemora o resultado de uma pesquisa feita nos EUA, segundo a qual novas startups criadas por mulheres recebem menos investimentos do que as fundadas por homens, mas são as que apresentam maior rendimento. Os números apontam que “as mulheres têm capacidade gerencial, criatividade, inventividade e iniciativa e conseguem ser mais empreendedoras do que os homens”.

No Brasil, não há dados sobre isso, mas, segundo o colunista, é preciso reconhecer que as mulheres têm invadido cada vez mais “as praias do empreendedorismo em vários campos”. Mesmo por aqui, é crescente o número de grandes empresas que investem em startups lideradas por mulheres. “Inovação é diversidade em todos os níveis”, afirma Arbix, antes de concluir: “Esse choque de contrastes é que é capaz de provocar o surgimento de ideias novas e fazer com que a inovação avance”.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 136
  •  
  •  
  •  
  •