Sobre lagostas, vinhos premiados e o hábito de tirar dos que menos têm

É preciso questionar a licitação do Supremo Tribunal Federal para fornecimento de refeições a autoridades, diz Renato Janine

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No Brasil, nós nos contaminamos tanto com a ideia de que é preciso dar um status grande para quem está no poder que esse status se espalha por toda a parte, seja no Legislativo ou Judiciário, na forma de carros oficiais e alto número de funcionários, entre outros privilégios. E isso fica muito flagrante no tipo de refeição que os ministros do Supremos Tribunal Federal (STF) querem oferecer a convidados, de acordo com uma licitação revelada pela imprensa na semana passada. Este é o tema que o professor Renato Janine Ribeiro comenta em sua coluna desta semana.

Ele lembra de uma coluna anterior, quando comentou sobre os políticos suecos, que vivem de modo bastante modesto em quitinetes e usando transporte público.

O colunista ressalta, no entanto, que é uma ilusão acreditar que acabar com os excessos dos poderes constitucionais significa resolver os problemas do país. “Mas minoraríamos certos problemas e evitaríamos um coisa chocante: na hora do sacrifício, são mais sacrificados os que têm menos, do que os que possuem mais”, diz o colunista. Ele cita ainda o caso de alguns juízes no Brasil: muitos recebem além do teto constitucional e mesmo assim não abrem mão do auxílio-moradia, mesmo tendo casa própria.

Ouça no link acima o áudio na íntegra.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •