Sites imperdíveis que debatem arte e censura

Giselle Beiguelman indica links que discutem violações à liberdade de expressão e a história da ditadura no Brasil

  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  

Os 50 anos do AI-5 e da Batalha da Maria Antonia, com a sua programação Ecos 1968, estão sendo rememorados pelo Jornal da USP e pela Rádio USP. Em sua coluna, Giselle Beiguelman, artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, seleciona e indica cinco sites que debatem as relações entre arte e censura.

“Começo pelo File Room, do artista multimídia Antoni Muntadas, um projeto iniciado em 1994, que é também uma das primeiras obras de net art, arte criada para a internet”, explica. “O site é um banco de dados colaborativo que arquiva casos de censura às artes, traz várias definições de censura e uma vasta bibliografia sobre o tema.” O endereço é:

http://archive.rhizome.org/anthology/thefileroom.html

Para os interessados em ter uma dimensão global dos processos de censura à arte, a professora indica o site da organização internacional Freemuse: https://freemuse.org/

“Lá você encontra todo tipo de material de apoio legal para combater a censura, notícias e um repositório, dividido por países, que mapeia e descreve casos do mundo todo, inclusive do Brasil”, destaca.

Outro site indicado por ela é o que lista livros censurados, dos infantis aos clássicos, mantido pela biblioteca da Universidade do Arizona. “Eles mantêm, nesse mesmo diretório, vários outros recursos como, por exemplo, links para perfis anticensura no Twitter, que acaba funcionando como uma bússola para saber o que está acontecendo na internet e mundo afora nas tentativas de controle à arte e ao pensamento.” O endereço é:

https://libguides.asu.edu/BannedBooks/Censorship

A professora indica também o site argentino Memoria Abierta, que “disponibiliza um minucioso catálogo de filmes que retrataram a violenta ditadura do país  e o período de transição democrática. O catálogo inclui também filmes pró-regime e temas específicos, como os lugares da repressão, a Guerra das Malvinas, e a ditadura na sala de aula”.

http://www.memoriaabierta.org.ar/ladictaduraenelcine/index.html

No Brasil, ela recomenda Memórias da Ditadura, realizado pela Vlado Educação, do Instituto Vladimir Herzog. “O site disponibiliza uma série de ferramentas pedagógicas e tem uma área dedicada à arte e cultura”, comenta. “Nessa área, contempla-se da música ao cinema, passando pelo teatro e artes visuais,  além de links para filmes, como Tropicália, de Marcelo Machado, e textos, como Esquema Geral da Nova Objetividade de Helio Oiticica (1967).” O endereço é:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-de-arte-e-cultura/index.html

Ouça a íntegra da coluna clicando no player acima.

Quem quiser informações  mais detalhadas sobre os temas tratados em: www.desvirtual.com

 

  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados