Sintomas do autismo podem ser combatidos por estímulo cerebral

Estrutura de suporte saudável recupera neurônios e abre caminho para melhor adaptação de pacientes

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O estímulo na estrutura cerebral de suporte ao neurônio chamada astrocítico pode combater sintomas do autismo. Essa foi a descoberta da pesquisa do Laboratório de Células-Tronco e Modelagem de Doenças do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, liderada pela professora Patrícia Beltrão Braga.

Foto: Reprodução

Ela explica que o estudo se desenvolveu com células embrionárias, retiradas do dente de leite, produzindo diversos tipos de células. O astrocítico realiza a ligação do sistema nervoso central ao resto do organismo, e para verificar se um estímulo nessa estrutura afetaria o funcionamento de um neurônio, misturou-se astrocíticos de não-autistas com neurônios de autistas. O resultado foi que os neurônios de autistas foram recuperados.

No procedimento oposto (astrocítico de autistas com neurônios não-autistas), verificou-se que os neurônios foram negativamente afetados. Isso se deve a substâncias específicas que são produzidas pelo astrocítico autista.

A professora esclarece que esse é um passo para a compreensão do funcionamento do transtorno e tratamento de sintomas. Porém, resultados definitivos dependem de  pesquisas para saber quais medicamentos serão utilizados.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados