Síndrome do impostor pode prejudicar desempenho profissional

Segundo Maria da Conceição Uvaldo, a sensação é de não merecer o cargo ou posição que ocupa na carreira profissional, o que pode evoluir para a autossabotagem

 30/11/2020 - Publicado há 11 meses
Por
Foto: Elisa Riva/Pixabay

Você já sentiu que não merecia estar na posição que ocupa na empresa em que trabalha? A síndrome do impostor faz com que as pessoas se sintam incapazes de aceitar o próprio sucesso porque acreditam que só ocupam a posição profissional atual por terem enganado seus pares. Os estudos sobre o assunto começaram em 1978, com duas psicólogas norte-americanas, Pauline Clance e Suzanne Imes, da Universidade Estadual da Geórgia. A pesquisa, com 150 mulheres em posição de destaque profissional, mostrou que, quanto mais respeitadas e bem-sucedidas, mais essas pessoas sentiam-se inseguras e acreditavam ser uma fraude. Maria da Conceição Uvaldo, psicóloga do Serviço de Orientação Profissional (SOP) e pesquisadora do Laboratório de Estudos sobre o Trabalho e Orientação Profissional (Labor), do Instituto de Psicologia (IP) da USP, compartilha que a síndrome do impostor dialoga com vários preconceitos, uma vez que essa barreira faz com que as pessoas sintam-se menos valorizadas. 

Durante a pandemia, 46% das empresas adotaram o modelo de home office, segundo pesquisa realizada em abril pela Fundação Instituto de Administração (FIA), com dados de 139 empresas que atuam em todo o Brasil. Para a pesquisadora, a pandemia intensifica a ocorrência da síndrome do impostor, uma vez que as pessoas encontram seus modelos de comparação nas redes sociais: “A gente costuma olhar o LinkedIn e ficar comparando e a sensação é sempre de estar para trás. Sempre de estar devendo e claro que isso tem a ver com o modo capitalista desse mundo que a gente vive hoje, de que cada vez mais você precisa mostrar sua capacidade, ser multitarefa e surpreender a todos”.

Para quem está passando pela síndrome do impostor, a pesquisadora aponta que é importante, em um primeiro momento, avaliar se a sensação vem de você ou está sendo causada por alguma situação. “Uma boa dica é sempre conversar com seus pares, você tem amigos em que você confia que podem te dar um feedback se você tá exagerando ou não, se aquilo realmente está acontecendo.” A síndrome pode atrapalhar no crescimento profissional, visto que um de seus sintomas é a autossabotagem: “Uma das coisas interessantes na síndrome do impostor é que você acaba se boicotando, às vezes você não quer aparecer tanto por que você teme que, tornando-se visível, essa mentira em que você acredita ser vai se tornar patente”.

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.